PUBLICIDADE

Brasileira é acusada de perseguição após enviar 8 mil cartas para Harry Styles

Myra foi presa em Londres após enviar cartas manuscritas e online para o cantor britânico

21 fev 2024 - 08h58
(atualizado às 09h02)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Myra Carvalho, brasileira de 35 anos, responde judicialmente por perseguir o cantor Harry Styles com 8 mil cartas. Ela está detida desde o fim de janeiro e o caso foi levado ao tribunal para ser ouvido novamente em 19 de abril.
Harry Styles recebeu mais de 8 mil cartas da brasileira Myra Carvalho, que foi presa por perseguição
Harry Styles recebeu mais de 8 mil cartas da brasileira Myra Carvalho, que foi presa por perseguição
Foto: Reprodução/Instagram

A brasileira Myra Carvalho, de 35 anos, responde judicialmente por perseguição contra o cantor Harry Styles após enviar 8 mil cartas a ele, em um mês. Ela foi detida sob custódia no fim de janeiro pela polícia britânica.

As cartas foram manuscritas e também enviadas de forma online. Duas das cartas foram entregues em mãos na casa do arista na Inglaterra, e outras milhares foram enviadas para o endereço dele. Segundo os promotores, alguns cartões eram de casamento.

Myra tem um companheiro no Brasil, e estava hospedada desde dezembro em um albergue em Earl Court, em Londres. O jornal The Independent informou que a família da mulher não sabia que ela estava viajando.

Ela foi detida no fim de janeiro sob acusação de assédio, que equivale a perseguição. A situação teria gerado grave alarme ou angústia ao cantor. Segundo o jornal Daily Mail, as ações de Myra levaram Harry a mudar algumas atividades do dia a dia.

A brasileira participou de uma audiência nesta terça-feira, 20, por videochamada da prisão feminina de HMP Bronzefield, onde está detida. Os pais dela compareceram ao tribunal para a sessão e se emocionaram.

A advogada que representa Myra, Clementine Simon, alegou que sua cliente estava sofrendo de um “episódio maníaco”, e questionou se Mayra estaria apta a responder judicialmente a ação.

A brasileira falou apenas para confirmar o próprio nome, e não fez nenhum apelo. A juíza Karim Ezzat enviou o caso para ser ouvido pelo mesmo tribunal novamente em 19 de abril.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade