PUBLICIDADE

Quando Jack Nicholson ganhou um prêmio e fez o melhor discurso de agradecimento de todos os tempos

Triunfou nos BAFTAs com Chinatown, mas uma sessão de fotos o impediu de comparecer à gala: Então, o ator deu a melhor solução para o problema.

7 dez 2023 - 00h26
Compartilhar
Exibir comentários

Para além das diferentes profissões do cinema, como direção, atuação, montagem ou fotografia, é claro que receber e arrecadar prêmios nas galas mais importantes do ano é uma arte. Não é por acaso que, 24 anos depois, ainda nos lembramos de Roberto Benigni correndo pelas poltronas do Teatro Kodak para receber o Oscar de melhor filme estrangeiro em 1999.

Foto: Getty Images / Adoro Cinema

Mas hoje vamos nos afastar da grande noite das temporadas anuais de premiações e das terras americanas para viajar até o Reino Unido e focar no BAFTA Awards, que, em 1975, teve um dos melhores discursos de toda a sua história, com atraso. Sim, cortesia de um Jack Nicholson capaz de demonstrar seu talento mesmo nos momentos mais inesperados.

Foto: Adoro Cinema

Louco

Naquele ano, Nicholson teve dupla indicação de melhor ator principal por Chinatown e A Última Missão, concorrendo com Gene Hackman - A Conversação -, Albert Finney - Assassinato no Expresso Oriente - e Al Pacino - Serpico —. Sem dúvida, uma seleção de verdadeiros astros, da qual Nicholson saiu vitorioso por seu trabalho no filme de Roman Polanski.

O problema é que o ator não esteve presente no Royal Albert Hall para ganhar o prêmio, pois estava filmando Um Estranho no Ninho - pelo qual ganharia o BAFTA dois anos depois. Em vez de um discurso habitual, Nicholson fez uma aparição através de um vídeo caracterizado como seu personagem…

Leia o artigo em AdoroCinema

Ator de O Iluminado recusou um dos filmes mais famosos da história do cinema para estrelar um que caiu no esquecimento

No streaming: Jack Nicholson aparece apenas por 15 minutos e 43 segundos neste filme, mas foi o suficiente para ser indicado ao Oscar

"O livro de Stephen King é melhor": Ridley Scott afirma que Stanley Kubrick destruiu O Iluminado e explica sua conexão inesperada com o final de Blade Runner

Adoro Cinema
Compartilhar
Publicidade
Publicidade