PUBLICIDADE

Filme sobre tubarão em Paris é detonado pela comunidade científica

Produção da Netflix, "Sob as Águas do Sena" recebe críticas de especialistas em vida marinha, mas é elogiado por Stephen King

15 jun 2024 - 19h14
(atualizado em 17/6/2024 às 11h34)
Compartilhar
Exibir comentários

O filme "Sob As Águas do Sena" se tornou um grande sucesso na Netflix e até ganhou elogios de Stephen King, mas tem causado repúdio na comunidade científica por retratar a presença de um tubarão gigante no rio Sena às vésperas dos Jogos Olímpicos de 2024. A trama acompanha a cientista Sophie, interpretada por Bérénice Bejo ("O Artista"), na tentativa de neutralizar o tubarão e garantir a segurança de uma disputa de Triatlo e os espectadores, enquanto enfrenta a descrença das autoridades.

Realidade versus ficção

Segundo Sébastien Brosse, investigador do Centro Nacional Francês de Investigação Científica (CNRS) e professor de biologia animal, não há o menor pingo de realismo sob as águas desse filme. Em entrevista ao jornal Le Monde, ele explicou que tubarões não costumam subir os rios, com exceção do tubarão-buldogue, uma espécie que vive em zonas tropicais e não estaria presente no Sena. "Em 2022, uma baleia beluga se perdeu no rio Sena, e as autoridades francesas se mobilizaram para retirá-la em segurança, mas o animal não sobreviveu", relembrou Brosse, comentando um fato citado no filme para justificar a presença de tubarões.

Reação da comunidade científica

Nicolas Ziani, fundador do Phocéen Shark Study Group e especialista em ictiologia marinha, também criticou duramente a premissa do filme. "É uma vergonha. Caí no chão quando vi o trailer. É um apocalipse cognitivo. Estamos importando um problema que nunca existiu na França. O último 'Megatubarão', com Jason Statham, é quase mais coerente", disse Ziani ao Le Parisien.

Ziani ressaltou que o filme transmite uma mensagem alarmante sem credibilidade científica, apesar de tentar passar uma mensagem ecológica. "Este filme dá uma imagem de catastrofismo que beira a demência. No biótopo francês, existem 75 espécies de tubarões que não representam perigo para o homem", explicou ele, lamentando que o orçamento de 20 milhões de euros não tenha sido usado para apoiar a pesquisa sobre tubarões na França.

Produção e críticas

O filme de Xavier Gens ("(A) Fronteira") também dividiu opiniões entre público e crítica. No Rotten Tomatoes, a produção agradou mais os críticos, atingindo 64% de aprovação. Entretanto, teve apenas 34% de aceitação do público. "Eu dou zero estrelas, não perca seu tempo assistindo a este lixo", escreveu um usuário.

Em compensação, o longa francês foi recomendado nas redes sociais por ninguém menos que o rei do terror Stephen King. "É realmente muito bom. Os últimos 25 minutos são incríveis", escreveu o autor de "O Iluminado" e "Carrie, a Estranha".

Lançado em 5 de junho, "Sob As Águas do Sena" foi o filme mais visto da Netflix na semana passada, com 40 milhões de visualizações em seus primeiros dias de exibição.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade