PUBLICIDADE

Arte dos mosaicos italianos é tema de exposição em São Paulo

Mostra no MIS fica em cartaz de 22 de junho a 18 de agosto

21 jun 2024 - 15h06
(atualizado às 15h18)
Compartilhar
Exibir comentários

Por Luciana Ribeiro - Uma viagem fascinante de 2 mil anos que atravessa a Itália de norte a sul para contar a história de seus mosaicos. Este é o fio condutor da exposição multimídia "Mosaico: Código Itálico de uma Arte Atemporal", aberta ao público a partir deste sábado (22), no MIS Experience, em São Paulo.

    Produzida pela Direção Geral para a Diplomacia Cultural do Ministério das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional da Itália (Maeci), em parceria com o Instituto Italiano de Cultura de São Paulo (IICSP), e idealizada e realizada pela Magister Art, a experiência é dividida em sete estações, que conectam cidades como Roma, Pompeia, Aquileia, Ravenna, Palermo/Monreale, Piazza Armerina e a submersa Baia.

    A mostra, que ficará aberta até 18 de agosto, promove uma espécie de viagem pelo tempo para descobrir algumas das obras mais icônicas do universo do mosaico italiano.

    "Não é somente uma exposição como muitas outras. É uma mostra imersiva, multimídia, onde é possível ver minuciosamente uma técnica maravilhosa - a dos mosaicos - e que vai fazer muitos brasileiros descobrirem e aprender a apreciar os mosaicos que eles têm aqui", explicou à ANSA Lillo Teodoro Guarneri, diretor do IICSP, lembrando dos antigos mosaicos das calçadas da Avenida Paulista.

    Durante a jornada, o público poderá ver, com realidade aumentada, reproduções de obras, filmagens subaquáticas e com drones, materiais de arquivo e animações.

    A cidade de Roma é a primeira protagonista da mostra, com a Basílica dos Santos Cosme e Damião e a Basílica de Santa Práxedes apresentando ao visitante a arte mosaica cristã. Na sequência, é possível ver os mosaicos da Casa do Fauno, uma das maiores residências de Pompeia, nos quais milhares de azulejos colocados lado a lado compõem o cenário do triunfo de Alexandre, o Grande, sobre Dario III da Pérsia.

    A viagem também passa por Aquileia, onde um mosaico no chão da Basílica de Santa Maria Assunta mostra símbolos do catolicismo após o Édito de Constantino, que garantiu aos cristãos a liberdade de seguir a sua religião favorita; Ravenna, com os mosaicos do Mausoléu de Galla Placidia e das basílicas de San Vitale e de Santo Apolinário em Classe; e Palermo/Monreale, cuja herança mosaica da Sicília deixa o público sem fôlego.

    A experiência termina com a Villa Romana del Casale, em Piazza Armerina, contando, através dos seus mosaicos policromados, vislumbres da vida do Império nos primeiros séculos depois de Cristo; e com as descobertas no Parque Arqueológico Subaquático de Baia, onde os mosaicos só podem ser apreciados por quem mergulha a cerca de cinco metros de profundidade.

    "Espero que o esforço do governo italiano e do Instituto Italiano de Cultura, que tiveram tanto trabalho para trazer esta exposição, seja aproveitado ao máximo pelos brasileiros", concluiu o diretor do IICSP, apelando para a população visitar essa herança cultural que chega à capital paulista no âmbito das comemorações dos 150 anos da imigração italiana no Brasil.

    .

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade