0

'A política sempre fez parte do Cavaleiro das Trevas', diz Frank Miller na CCXP 2019

Quadrinista americano está no Brasil para participar pela terceira vez do evento; ele lança na semana que vem o próximo capítulo da saga, feito em parceria com o brasileiro Rafael Grampá

7 dez 2019
17h29
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Lenda dos quadrinhos, o americano Frank Miller está em São Paulo para sua terceira (em seis anos) CCXP. Na tarde deste sábado, 7, ele deu uma entrevista coletiva ao lado do brasileiro Rafael Grampá, com quem desenhou a nova edição do seu icônico Batman, The Dark Knight Returns: The Golden Child.

A produção da CCXP 2019 pediu (por uma solicitação da editora de Miller) para os jornalistas não fazerem perguntas sobre os protestos em Hong Kong, mas o americano falou do elemento político do seu quadrinho. "Uma história boa é uma boa história, independente de como você for contar. O Cavaleiro das Trevas sempre se relacionou com política, desde a época do Ronald Reagan. Isso é parte do personagem. É uma paródia política. E a gente se diverte com isso. Quem se afeta é justamente quem deveria ser afetado", disse.

Segundo a impressão passada pelos artistas na entrevista, em The Golden Child a personagem Carrie Kelley ganha ainda mais protagonismo e se torna um contraponto interessante ao Batman.

"Talvez essa entrevista deveria ser chamar 'Frank e Rafa falando sobre sapatos'", disse Miller. "Uma das coisas que me convenceram a trabalhar com o Rafa foi uma imagem, dele, da Carrie Kelly, com algumas alterações inteligentes, ousadas, perfeitas. Parecia o que eu fazia antes, mas tomando uma nova direção mais bem desenhada e muito mais contemporânea. Os óculos estavam melhores, em três dimensões, e muito na moda. Mas isso não era nada. Foram os sapatos e o nível de detalhe neles. Os sapatos da Carrie a partir de agora vão ser um desafio para qualquer artista", completou, fazendo as cercas de 50 pessoas rirem.

Para Miller, Carrie é "a reviravolta final da história", e sua voz é que poderá guiar a franquia para o futuro. "Ela não tem a bagagem de raiva que o Batman traz. Durante a vida toda dele ele foi o mais inteligente e agora isso não é mais verdade. É sempre um interesse meu trazer personagens femininas. Histórias apenas de homens se digladiando se perde mais da metade da diversão."

Foi na primeira vinda de Miller para a CCXP que ele e Grampá se conheceram. "A essência dele é generosidade", disse o brasileiro sobre o colega americano. "Quando comecei a fazer o trabalho, estava nervoso, mas ele me deixou tranquilo."

Miller ainda teve tempo de comentar as continuações de Cavaleiro das Trevas (publicado originalmente em 1986; The Golden Child é o quarto livro). "Quando eu escrevi a primeira história do Cavaleiro das Trevas, terminava com o Batman morrendo. Eu tive que discutir muito com o editor para esse final. Mas aí eu mudei. A DC Comics apoiou totalmente o livro, mas quando eu estava chegando naquele ponto da história decidi que não era esse o final. Decidi que seria o fim da saga, mas sem ele morrer. Fiz minha história do Batman e coloquei isso de lado. Mas o velho continua me achando e me atraindo de volta, independente do que eu faça."

The Golden Child será publicado nos Estados Unidos no próximo dia 11. Miller e Grampá participam de um painel da CCXP 2019 no domingo, 8, às 11h.

Veja também:

Pessoas que dão 'match' com obras de arte
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade