PUBLICIDADE

Anfavea e Oica (associação global) discutem futuro dos carros

Associações que reúnem as indústrias responsáveis por cerca de 90 milhões de veículos debatem em São Paulo o futuro energético do setor

27 out 2023 - 18h00
Compartilhar
Exibir comentários
John Bozzella, presidente da Oica, e Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea, lideraram os debates
John Bozzella, presidente da Oica, e Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea, lideraram os debates
Foto: Anfavea / Guia do Carro

A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) está organizando nesta semana, em São Paulo, um evento inédito na história da indústria automobilística nacional.

Pela primeira vez o Brasil está sediando o encontro da Oica (Organisation Internationale des Constructeurs d’Automobiles), entidade sediada em Paris, composta por 36 associações que reúnem fabricantes responsáveis pela produção global de cerca de 90 milhões de veículos por ano. 

A cada ano a Oica realiza seu encontro no país de uma de suas associadas. O evento deste ano, de responsabilidade da Anfavea, é um marco importante para o Brasil, que pode exibir ao mundo sua posição de liderança na transição para a mobilidade sustentável.

Neste ano, a Assembleia Geral recebeu representantes de África do Sul, Alemanha, Austrália, Áustria, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Japão, Noruega, Portugal, Reino Unido e Suécia, além de membros da European Automobile Manufacturers' Association (ACEA). 

Brasil pode exibir ao mundo sua posição de liderança na transição para a mobilidade sustentável
Brasil pode exibir ao mundo sua posição de liderança na transição para a mobilidade sustentável
Foto: Anfavea / Guia do Carro

John Bozzella, presidente da Oica: “As discussões técnicas que estamos tendo nesta Assembleia refletem o momento disruptivo pelo qual passa nossa indústria”.

Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea: “Se nosso setor é parte desse problema, tem de ser parte ativa da solução. Nesse sentido, o Brasil tem muito a contribuir. A eletrificação é um processo que veio para ficar”.

Lima Leite aproveitou para destacar a diversidade de soluções energéticas do Brasil: “Temos longa experiência com biocombustíveis, em especial o etanol e o biodiesel, além de alternativas bem encaminhadas como o biogás, o HVO e o hidrogênio verde”.  

A Anfavea destacou o potencial do etanol, quando é considerado o ciclo do poço à roda, mas disse que somente 30% dos motoristas utilizam este combustível; os outros 70% de usuários de carros flex preferem a gasolina.

Guia do Carro
Compartilhar
Publicidade
Publicidade