PUBLICIDADE

Novo estudo revela função de monumento misterioso de 4 mil anos no Reino Unido

Construção de madeira encontrada no Reino Unido ganha nova “função” de acordo com pesquisa recente

18 jun 2024 - 10h51
Compartilhar
Exibir comentários
Holme I encontra-se em exibição em museu britânico
Holme I encontra-se em exibição em museu britânico
Foto: Wikimedia Commons

Um misterioso monumento pré-histórico conhecido como Seahenge, encontrado no Reino Unido, pode ter sido construído para rituais feitos para prolongar o verão durante as mudanças climáticas do 3º milênio a.C., segundo recente estudo publicado no GeoJournal por David Nance, da Universidade de Aberdeen, no início de abril deste ano.

A pesquisa aponta que o círculo de madeira encontrado em uma praia de Norfolk, foi construído na primavera, utilizando madeira que data de 2.049 a.C.

“A datação das madeiras de Seahenge mostrou que elas foram derrubadas na primavera, e é provável que estivessem alinhadas com o nascer do sol no solstício de verão”, explica Nance, em nota à imprensa.

Ele acrescenta que se tem conhecimento de que “há 4 mil anos houve um período prolongado de diminuição das temperaturas atmosféricas, invernos rigorosos e primaveras tardias, o que colocou as primeiras sociedades costeiras sob estresse”.

Monumento circular é conhecido como Holme I

Também conhecido como Holme I, o monumento em forma de círculo foi descoberto em 1998, e consiste em uma raiz de árvore virada para cima cercada por 55 pequenos troncos de carvalho divididos formando um recinto circular de cerca de 22 metros de diâmetro.

Estudos anteriores acfreditavam que a construção seria uma homenagem a algum indivíduo falecido e, até mesmo, poderia ser um lugar de enterros onde corpos eram deixados para os pássaros.

Livro "mais misterioso do mundo" é indecifrável até para IA; conheça Livro "mais misterioso do mundo" é indecifrável até para IA; conheça

Seahenge esteve escondido até a década de 1990, quando foi totalmente escavado. Ele está próximo a um segundo monumento conhecido como Holme II, que ainda se mantém enterrado.

A imitação do cuco

Arqueólogos consideram que a estrutura imita as habitações de inverno do cuco que, segundo a crença dos que viviam na região, o pássaro parava de cantar durante o solstício de verão e retornava para o “outro mundo”, levando embora o clima quente.

Assim, engaiolar o cuco no monumento poderia ser uma maneira de fazer com que o verão se prolongasse.

O Holme I encontra-se em um museu britânico (British Museum), e o Holme II segue intacto no mesmo local onde foi construído, monitorado quanto à erosão.

Fonte: Redação Byte
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade