PUBLICIDADE

Criativo e inovador, Steve Jobs morre aos 56 anos

5 out 2011 - 20h50
(atualizado em 7/12/2011 às 11h10)
Compartilhar

Morreu nesta quarta-feira, aos 56 anos, Steve Jobs, cofundador e presidente do Conselho de Administração da Apple. Jobs sofria de câncer no pâncreas desde 2004 e estava afastado do cargo de diretor-executivo da Apple há menos de dois meses para tratar da doença. Perfeccionista, criativo, inovador e ousado, ele ajudou a tornar os computadores mais amigáveis e revolucionou a animação, a música digital e o celular. Jobs deixa a mulher Laurene Powell, com quem teve três filhos.

Steve Jobs fala diante da projeção de uma foto dele com Steve Wozniak, em 2010
Steve Jobs fala diante da projeção de uma foto dele com Steve Wozniak, em 2010
Foto: Reuters

O ícone do Vale do Silício Steve Jobs, o homem por trás do computador Macintosh, do iPod, do iPhone e do iPad, renunciou em 24 de agosto como presidente-executivo da Apple, encerrando o período de 14 anos durante o qual comandou a empresa que ajudou a fundar em uma garagem. Jobs estava de licença médica desde 17 de janeiro por condições de saúde não reveladas. A saúde de Jobs virou notícia em 2004, quando ele anunciou que passara por uma cirurgia para remover um tipo raro de câncer pancreático, diagnosticado em 2003, e que a operação fora bem-sucedida. Em 2009, ele passou por um transplante de fígado.

Steven Paul Jobs nasceu em San Francisco, em 24 de fevereiro de 1955, e foi adotado pelo casal Justin e Clara Jobs em Mountain View, também na Califórnia, Estados Unidos. Jobs deixou o Reed College de Portland, Oregon, depois de um único semestre, mas continuou tendo aulas, incluindo uma de caligrafia, que citou como o motivo dos Macintosh serem desenhados com múltiplas tipografias. Quando tinha 20 anos, fez uma viagem espiritual à Índia e voltou com a cabeça raspada e usando trajes indianos tradicionais. Conseguiu trabalho como técnico dos videogames Atari e participava em um clube de garagem chamado "Homebrew Computer Club" (Clube dos Computadores Caseiras).

Em 1976, juntou-se ao parceiro tecnológico Steve Wozniak para fundar a Apple Computer, lançando o Apple I e em seguida o Apple II. A empresa logo ficou conhecida pelos computadores simples, ousados e criativos. A grande revolução teve início em 1979 com o projeto Macintosh - uma interface gráfica baseada em navegação por ícones, janelas e pastas e com o uso do mouse. As inovações da Apple incluem o "mouse" para facilitar os usuários na ativação dos programas e a abertura de arquivos.

Lançado em 1984 com uma campanha milionária, o Macintosh era o primeiro PC com recursos de tipografia e desenho, com uma interface gráfica pioneira, e passou a ser o parâmetro para os computadores pessoais a partir daquele momento. Surgiu nesta época o slogan "Think Different" (Pense diferente), marca dos gadgets criados por Jobs, remetendo à liberdade de pensamento e de ação. No ano seguinte, Jobs teve que deixar a Apple por força do conselho de administração. Então ele fundou a NeXT e, no ano seguinte, comprou a Pixar, empresa de animação que, na década de 90, criou o primeiro filme infantil totalmente animado por computador: Toy Story.

Em 1991, Jobs se casou num cerimônia presidida por um monge budista. Teve três filhos com sua esposa e uma filha com mulher com quem manteve uma relação anterior a seu casamento.

Em 1996, a NeXT Computer foi comprada pela Apple, para que o NeXTStep fosse usado como base para um novo sistema operacional. Assim, em 1997 Jobs retornou como consultor para a companhia que havia ajudado a fundar - e que atravessava uma grave crise financeira - e da qual nunca mais se separou. Em 1998, com a chegada do iMac, Jobs mais uma vez havia dado vida à Apple, com um computador que inovava em diversos aspectos, principalmente no design. Com seu visual translúcido e colorido, o iMac acabou com a uniformidade dos computadores na cor bege.

Em 2001, além do lançamento do Mac OS X, a Apple ampliou sua área de atuação para a eletrônica e a música digital. Vieram então o tocador iPod e o iTunes, a venda legal de música via Internet - modernos, práticos e simples como sempre. Em 2006, nova revolução: o lançamento do iPhone, celular com tela sensível ao toque que virou uma febre, sendo comprado, copiado e desejado em todo o mundo.

Em abril do ano passado, a Apple anunciou o iPad, tablet com tela sensível ao toque que revolucionou o mercado. Em maio, a Apple superou a Microsoft como a maior companhia tecnológica americana em termos de valor de mercado. No final do ano, o iPad já dominava 84% do mercado.

Entre os reconhecimentos recebidos, Jobs foi condecorado com a Medalha Nacional de Tecnología em 1985 pelo então presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan; com o prêmio Visionários do Ano 2004, pela Billboard; eleito a pessoa mais poderosa do mundo dos negócios pela revista Fortune em 2007; escolhido o empresário da década em 2009, também pela Fortune.

Steve Jobs morre aos 56 anos

O cofundador e ex-presidente do conselho de administração da Apple morreu nesta quarta-feira aos 56 anos, vítima de um câncer no pâncreas que vinha tratando desde 2003. Perfeccionista, criativo, inovador e ousado, ele ajudou a tornar os computadores mais amigáveis e revolucionou a animação, a música digital e o telefone celular. Jobs marcou o mundo da tecnologia ao apresentar produtos como o Macintosh, o iPod, o iPhone e o iPad. Afastado da empresa desde 17 de janeiro para cuidar da saúde e sem prazo para voltar, o executivo renunciou ao cargo em 24 de agosto. "Sempre disse que, se chegasse o dia que eu não pudesse mais cumprir minhas funções e expectativas como CEO da Apple, seria o primeiro a informar. Infelizmente, esse dia chegou", dizia a nota à época.

A saúde de Jobs virou notícia em 2004, quando ele anunciou que passara por uma cirurgia para remover um tipo raro de câncer pancreático, diagnosticado em 2003, e que a operação fora bem-sucedida. Depois, em 2009, Jobs fez um transplante de fígado e ficou afastado da companhia que fundou ao lado do engenheiro Steve Wozniak por vários meses. Mesmo com as licenças, Jobs continuou ativo na tomada de decisões da empresa, chegando se reunir a portas fechadas com o presidente americano, Barack Obama, em fevereiro, e lançar o iPad 2, em março, surpreendendo ao subir ao palco para apresentar o produto.

Detalhes do estado de saúde de Jobs sempre foram um mistério. Uma fotografia que mostrava o executivo muito magro e com aparência debilitada (sobre a qual recaíram suspeitas de manipulação) foi publicada pelo site americano de celebridades TMZ dois dias após ele ter deixado o cargo de presidente-executivo da Apple. Em fevereiro, Jobs foi fotografado pelo jornal americano The National Enquirer na mesma clínica onde o ator Patrick Swayze, morto em setembro de 2009, recebeu tratamento para câncer de pâncreas.

Com informações da agência AFP.

EFE   
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra