Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

Você sabe qual o limite de desempenho nos treinos?

Fisioterapeuta do esporte explica a importância de respeitar seus limites e como melhorar a qualidade do aproveitamento dos exercícios

27 set 2021 14h30
Compartilhar
Limite exercicios
Foto: Sport Life

Alguns atletas gostam apenas de aproveitar o momento do percurso, já outros, têm como principal objetivo conquistar sempre os melhores resultados. Independente do tipo de esportista, a dúvida, tanto para quem pega leve, quanto para os vidrados em desempenho pode ser a mesma: existe um limite de resultados?

Franco Chamorro, fisioterapeuta do esporte, explica que essa é uma resposta muito polêmica, que provavelmente não seguirá os discursos "motivacionais" que estão cada vez mais comuns nas redes sociais.

Publicidade

"Do ponto de vista teórico, claro que existem limites, até por isso observamos tendências de platô conforme avançamos na modalidade ou lesões recorrentes que afastam um atleta da prática, justamente por passar desse tal limite", explica.

A fadiga e o cansaço, de acordo com o fisioterapeuta, ajudam o atleta a identificar se ele está chegando em seu máximo. Mas, a exatidão desses indicadores pode ser mais ou menos precisa dependendo da pessoa, circunstância e contexto da prática esportiva.

Conheça quais são os sinais

Mente

Quando estamos em uma situação desafiadora e cansativa, como a prática

esportiva, é comum a mente questionar: "O que você está fazendo aqui?". Esses são os primeiros sinais de que estamos saindo da nossa zona de conforto. Dessa forma, a dica é mudar o foco do pensamento, e se essa ideia voltar cada vez mais forte e com maior frequência, passe para o próximo passo.

Publicidade

Esforço

Poucos sabem, mas existe uma escala que vai de 0 a 10 onde você pode avaliar a sua Percepção Subjetiva de Esforço (PSE). Como o próprio nome já diz, ela é subjetiva, porém, ajuda a ter parâmetros.

Sendo assim, quanto maior o número, maior o esforço. E quanto maior o esforço, por menos tempo conseguimos sustentar a prática esportiva nesse nível.

Fadiga

Não existe nada pior do que se exercitar e ficar com o folego curto. A qualidade do aproveitamento da tarefa cai, o desempenho piora e o nível de atenção para se manter firme passa a ser muito maior. Se você percebeu que não consegue manter a qualidade de sua performance, talvez seja o momento de dar um tempo e descansar.

Desconforto

Às vezes, só você pode saber o que está em jogo e o quanto aquilo vale, mas pense sempre sobre os riscos e benefícios ao seu bem-estar. Ficar um pouco desconfortável pode ser ok, principalmente se isso é transitório e pode ser recuperado depois. Por outro lado, se você começou a entrar numa zona arriscada, pare e descanse. Seu corpo dará sinais e vai dar um jeito de te parar.

Publicidade

Dor

Se você persistir no desconforto, ela vai crescer e se tornar algo mais desagradável com uma câimbra, enjoo, lesão ou até mesmo um desmaio. A verdade é que a cabeça pode mandar você continuar, mas em algum momento seu sistema nervoso vai flertar com o limite e poderá te fazer parar. Nunca ignore sinais do seu corpo!

"O ideal é estar gradualmente se expondo a novas experiências, são elas que vão proporcionar que o atleta melhore suas chances de estar em constante evolução, com menores riscos", finaliza Franco.

Fonte: Franco Chamorro, fisioterapeuta do esporte e responsável pela equipe da especialidade na Care Club do Ibirapuera.

Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações