Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

OMS: ganhos contra pandemia estão em risco devido à variante

As infecções por covid-19 cresceram 80% nas últimas quatro semanas na maioria das regiões do mundo, disse o diretor-geral da organização

30 jul 2021 14h47
| atualizado às 15h18
Compartilhar
Chefe da OMS em entrevista em Genebra 3/7/ 2020 Fabrice Coffrini/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

O mundo corre o risco de perder os ganhos conseguidos a duras penas na luta contra a covid-19 com a disseminação da altamente transmissível variante Delta, mas as vacinas aprovadas pela Organização Mundial de Saúde continuam eficientes, afirmou a OMS nesta sexta-feira, 30.

As infecções por covid-19 cresceram 80% nas últimas quatro semanas na maioria das regiões do mundo, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Somente na África - onde apenas 1,5% da população está vacinada - as mortes também subiram 80% no mesmo período.

Publicidade

"Ganhos conquistados a duras penas estão sob risco ou sendo perdidos, e sistemas de saúde em muitos países estão sobrecarregados", disse Tedros em uma entrevista coletiva.

A variante Delta foi detectada em 132 países e, se tratando de uma cepa mais contagiosa, é a versão do vírus predominante no mundo.

"As vacinas que estão aprovadas pela OMS oferecem uma proteção significativa contra doenças graves e internações para todas as variantes, incluindo a Delta", disse o principal especialista de emergência da OMS, Mike Ryan.

"Estamos enfrentando o mesmo vírus, mas um vírus que ficou mais rápido e mais adaptado para a transmissão entre humanos, essa é a mudança", completou.

Publicidade

Alguns países relataram maiores taxas de internação, mas maiores taxas de mortalidade não foram registradas por causa da variante Delta, acrescentou a líder técnica da OMS para a covid-19, Maria van Kerkhove.

Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações