PUBLICIDADE

Enfermeira negra que se dedicou a população vulnerável da Cracolância é destaque de livro

Ex-empregada doméstica, Eliana Cristina dos Santos se especializou em Saúde Mental e Dependência Química para atender pessoas em estado de vulnerabilidade social

24 nov 2023 - 10h22
(atualizado às 14h10)
Compartilhar
Exibir comentários

 A enfermeira paranaense Eliana Cristina dos Santos, hoje radicada em São Paulo, é protagonista de uma história que mescla superação, coragem e solidariedade. Depois de perder o emprego de empregada doméstica na casa de uma família para qual prestou serviços durante 16 anos, ela se viu abandonada pelo marido, com um filho de quatro anos para cuidar e parcelas da casa própria a vencer. Sozinha na capital paulista, Eliana enxergou no curso de Enfermagem uma esperança de dias melhores.

Depois da sonhada graduação, ela ainda conseguiu se dedicar a especializações em Urgência e Emergência, Saúde Mental e Dependência Química. Eliana explica que o que a motivou a estudar cada vez mais foi justamente o preconceito que encontrou ao longo do caminho.

"É muito recente isso de uma mulher negra chegar a um cargo de liderança como o de enfermeira", afirma. Sem medo do que vinha pela frente, a profissional acabou sendo chamada pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) e alocada em uma vaga de atendimento a usuários na Cracolândia, no Centro de São Paulo, onde atuou por cinco anos.

"No primeiro dia, quando desci da ambulância, fiquei impactada com aquele monte de gente no chão. Mas não foi uma sensação de medo, e sim de ver a quantidade de pessoas que precisavam de cuidados. Na pandemia, foi ainda mais difícil. As pessoas me diziam: 'pare de atender na rua. Você vai morrer!", recorda.

História de Eliana Cristina dos Santos faz parte de livro sobre profissionais de saúde. Foto: Divulgação
História de Eliana Cristina dos Santos faz parte de livro sobre profissionais de saúde. Foto: Divulgação
Foto: Alma Preta

Ao sair da Cracolândia, através do programa Consultório na Rua, Eliana continuou a prestar atendimento a usuários, ainda que fora da Região Central: debaixo de viadutos, em matas fechadas e às margens de rios.

"Estar em locais de difícil acesso me proporcionou experiência e contribuiu para que eu explorasse a potencialidade das relações solidárias e do cuidado humanizado", avalia.

Hoje, Eliana é mestranda da Universidade de São Paulo (USP) com um trabalho sobre mulheres imigrantes e vulnerabilidade. Também dá palestras e ministra seminários para pacientes e profissionais de saúde.

Este é um dos relatos de destaque do livro "Retratos do Cuidar - Histórias da Enfermagem no Brasil", que acompanha a trajetória de alguns desses profissionais da saúde em todo território nacional, além de trazer um panorama da história da enfermagem no país. Editado nos idiomas português e inglês, o livro já está disponível na versão digital e cópias da obra serão doadas para instituições de saúde. A versão gratuita da publicação está disponível online. 

Realizado pela CEC Brasil em parceria com o Conselho Federal de Enfermagem, "Retratos do Cuidar" mostra a realidade de enfermeiros seja em pequenas clínicas no interior do país ou em movimentados setores de emergência das grandes capitais.

O post Enfermeira negra que se dedicou a população vulnerável da Cracolância é destaque de livro apareceu primeiro em AlmaPreta.

Alma Preta
Compartilhar
Publicidade
Publicidade