PUBLICIDADE
Patrocínio Logo do patrocinador

5 dicas para se exercitar no verão sem prejudicar a saúde

Especialistas ensinam o que fazer para continuar a rotina de exercícios nos dias quentes

23 jan 2024 - 14h02
Compartilhar
Exibir comentários

Embora seja uma temporada adorada por muitos, o calor intenso tem surpreendido até mesmo os que amam o verão. As altas temperaturas, normalmente bem-vindas, tornaram-se motivo de incômodo, atrapalhando a rotina diária. Além de dificultar o sono, esse período apresenta desafios para aqueles que que praticam atividades físicas. A desidratação, a fraqueza, o enjoo e até mesmo os desmaios podem ocorrer durante essa época. 

A hidratação é o cuidado principal para quem vai praticar exercícios, pois no calor há um risco maior de sofrer com desidratação
A hidratação é o cuidado principal para quem vai praticar exercícios, pois no calor há um risco maior de sofrer com desidratação
Foto: GP PIXSTOCK | Shutterstock / Portal EdiCase

"Por causa dos dias mais quentes, o organismo precisa ativar mecanismos para manter a temperatura do corpo em níveis ideais, abaixo de 37ºC, como a transpiração e a respiração, que aumentam a perda d'água pelo corpo", afirma a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Abaixo, um time de especialistas dá dicas de como se exercitar no calor sem prejudicar a saúde. Confira! 

1. Mantenha-se hidratado 

A hidratação é o principal cuidado para quem vai praticar exercícios, pois, no calor, suamos mais e, logo, corremos um risco maior de sofrer com desidratação. Segundo a Dra. Marcella, os sintomas da desidratação incluem, além de sede, urina amarela escura, frequência urinária reduzida, cansaço, fraqueza, tontura, dor de cabeça, náuseas e ressecamento dos lábios, língua e olhos.  

"Além do calor, as atividades físicas também elevam a temperatura corporal e a produção de suor. Combinados à falta de hidratação, cuja necessidade é maior nesse período de calor, esses fatores predispõem, por exemplo, a uma maior concentração urinária, o que eleva as chances de cálculos renais, que têm uma incidência 30% maior no verão", diz a médica nefrologista Dra. Caroline Reigada, especialista em Medicina Intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira.  

A recomendação de ingestão ideal de água varia de acordo com sexo, idade, peso, atividade física, condições de saúde e fatores ambientais, como a temperatura e a umidade do ar. Uma maneira de estimar a quantidade indicada para consumo diário de água é multiplicar o peso corporal por 0,03 e considerar o resultado como o volume a ser consumido.  

"Para hidratar o organismo, o melhor é consumir água, engarrafada ou mineral, mas a hidratação pode ser complementada com outros líquidos como sucos e chás, além do consumo de frutas e vegetais ricos em água, incluindo melancia, melão, tomate e pepino", aconselha a Dra. Marcella. 

2. Comece as atividades físicas aos poucos 

Para os "atletas" de primeira viagem, a temperatura e o desejo de deixar o corpo bonito para o verão são convites para começar a praticar exercícios. Porém, é importante não se deixar levar pelo calor do momento e iniciar com calma.

"Uma pessoa sedentária que realiza exercícios muito intensos na academia pode acabar passando mal, com sintomas como tontura e dor de cabeça, já que o corpo dela não está preparado para aquele tipo de atividade", explica a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.  

Ela acrescenta que "a prática de exercícios físicos melhora a circulação do sangue, o retorno venoso e, consequentemente, a oxigenação dos tecidos. Além disso, contribui para a queima de gordura, ajuda no desenvolvimento da musculatura e fortalece o sistema imunológico. Mas, para isso, o ideal é que a atividade física seja introduzida de forma lenta e progressiva, devendo sempre ser acompanhada de perto por um profissional de educação física especializado", aconselha a cirurgiã vascular. 

3. Cuidado com os excessos 

Mesmo para quem já pratica atividade física há algum tempo, é recomendado maneirar na intensidade dos exercícios ao ar livre durante os dias mais quentes, pois a combinação de calor, desidratação e esforço físico intenso pode sobrecarregar o corpo e favorecer complicações à saúde, como a insolação.

"A insolação ocorre quando, devido à exposição às altas temperaturas, nossos mecanismos de controle de temperatura não são efetivos. A condição pode, por exemplo, prejudicar a função dos rins na medida em que evolui para desidratação, levando à lesão renal aguda. Além disso, o quadro pode causar danos temporários ou permanentes a órgãos vitais como coração, pulmões, rins, fígado e cérebro. Existem ainda relatos de hepatite fulminante devido à insolação. As altas temperaturas lesam as células do fígado a ponto de morrerem. Essa condição é potencialmente fatal", diz a Dra. Caroline Reigada.  

Para prevenir a insolação, os praticantes de atividades físicas devem se hidratar e repor eletrólitos antes dos exercícios, por exemplo, a partir do consumo de água de coco. Também é recomendado evitar ambientes quentes e úmidos, que dificultam a transpiração. Também não é aconselhado praticar exercícios nos horários mais quentes do dia, das 10h00 às 16h00. 

Antes do treino, é importante comer lanches mais leves, incluindo preferencialmente uma fonte de carboidrato
Antes do treino, é importante comer lanches mais leves, incluindo preferencialmente uma fonte de carboidrato
Foto: Josep Suria | Shutterstock / Portal EdiCase

4. Atenção à alimentação antes do treino

Comer demais antes dos exercícios pode prejudicar o treino, principalmente em dias de calor, que agrava as funções digestivas. "O processo digestivo de uma refeição pesada exige grande fluxo de sangue. Logo, praticar exercícios após comer demais pode prejudicar a digestão e causar mal-estar", diz a Dra. Marcella Garcez. Mas ficar sem comer não é a solução. "Treinar em jejum não é indicado para quem busca hipertrofia, pois pode ocorrer catabolismo com consequente consumo muscular", alerta.  

Por isso, priorize lanches mais leves antes do treino. "A alimentação pré-treino deve ser preferencialmente composta de uma fonte de carboidrato complexo, como banana com aveia, iogurte com cereal integral, frutas secas ou sementes oleaginosas e pão integral com queijo magro", aconselha a médica. 

5. Use roupas adequadas 

O acúmulo de suor devido às altas temperaturas pode favorecer a proliferação de bactérias na pele. Além disso, o suor, por ter um pH mais ácido, pode prejudicar o tecido cutâneo, gerando desidratação, irritação e até mesmo acne devido à obstrução dos poros. Por isso, opte por roupas adequadas na hora da atividade física.

"Para praticar exercícios, evite roupas muito justas e fabricadas de tecidos que retêm o suor, pois dificultam a respiração apropriada da pele, bloqueando assim os poros e podendo levar ao aparecimento da foliculite", explica a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

"A umidade da roupa também pode causar micose em regiões como pés e virilha. Por isso, ao final dos exercícios, remova a roupa suada o mais breve possível para permitir que a pele respire", finaliza a Dra. Paola. 

Por Paula Amoroso

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade