PUBLICIDADE

Copa atrairá 600 mil turistas estrangeiros, segundo Embratur

Serão ofertados 25 mil quartos a mais na rede hoteleira para atender a demanda do megaevento

22 ago 2013 15h43
| atualizado às 19h24
ver comentários
Publicidade

O país deve receber cerca de 600 mil turistas estrangeiros e três milhões de brasileiros devem viajar dentro do Brasil durante os 30 dias da Copa do Mundo, de acordo com pesquisa do Ministério do Turismo (MTur).

Faltando 294 dias para o evento, brasileiros e estrangeiros se movimentam para a compra dos ingressos das partidas nas 12 cidades-sede.

Em 20 de agosto, primeiro dia de vendas, cerca de um milhão de ingressos foram solicitados por mais de 163 mil torcedores nas primeiras sete horas, de acordo com a FIFA.

O ministério também se mobiliza para a conclusão de obras de infraestrutura turística antes do início do megaevento. No ano passado, o governo federal destinou R$ 38,5 milhões para que as cidades-sede da Copa do Mundo investissem em sinalização turística.

O MTur anunciou R$ 19 milhões para investimentos em placas de sinalização nas cidades históricas. Mais de 30 destinos, em 17 estados, receberam ajuda financeira para adequar esses mecanismos de comunicação aos padrões internacionais.

Ao todo, serão ofertados 25 mil quartos a mais na rede hoteleira para atender a demanda do megaevento. Até 2014, serão construídos e reformados 71 Centros de Atendimento aos Turistas (CATs) nas 12 cidades-sede, dez CATs na fronteira com o Mercosul e financiamento de CATs móveis.

"A economia turística cresce acima do PIB nacional e grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo, dão visibilidade e consolidam o país como um dos principais destinos turísticos do mundo", afirma o ministro Gastão Vieira.

Profissionais ligados ao receptivo turístico, como taxistas e camareiras serão treinados por meio de um programa de qualificação profissional, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Turismo). Até o ano que vem serão ofertadas 240 mil vagas em 54 cursos profissionalizantes.

EFE   
Publicidade
Publicidade