Você sabia que um trauma pode "matar" seu dente?

Especialista explica essa e outras questões

26 set 2019
16h00

O nosso bate-papo da semana é com a Dra. Daiana Yoshimoto e abordamos canal dentário e todas as consequências desse tratamento. Acompanhe:

O que é canal dentário? porque devo tratá-lo?

O canal dentário é um túnel dentro do dente, por onde passam vasos sanguíneos e nervos. Essa vascularização/inervação permite que o dente se repare e se proteja frente a estímulos que possam causa-lo algum dano. A dor é um sinal de que algo não esta correto, é o nosso corpo tentando avisar que algo precisa ser feito, que a causa da dor precisa ser removida. 

Caso o canal não seja tratado, torna-se um foco de infecção e pode levar bactérias tanto para o osso quanto para a circulação sanguínea.
 
Quais são os objetivos de um tratamento de canal e em que casos o tratamento é indicado?

O tratamento de canal tem por objetivo TRATAR ou PREVENIR a infecção da polpa dentária e do osso que circunda o dente. Essa infecção pode ocorrer por diversos fatores como, por exemplo, cárie profunda com comprometimento da polpa dentária; trauma dentário de forte intensidade e cisto/lesão no ápice do dente.

Esses são alguns sintomas de que você precisa procurar um dentista:

- dor ao contato frio ou quente de declínio lento;
- dor irradiada e espontânea;
- dor à mastigação ou à palpação da gengiva que circunda o dente;
- sensibilidade ao toque após trauma dentário.

Há também casos em que o dente possui algum cisto/lesão em seu ápice, sem dor para o paciente, diagnosticado através de radiografias de rotina.  

É possível se prevenir?

Sim. Visitas periódicas ao dentista possibilitam o diagnóstico da cárie em sua fase inicial, quando ainda não atingiu a polpa dentária. Nesses casos, a restauração do dente já pode o proteger de futura inflamação da polpa, evitando o tratamento endodôntico.
Nos casos de traumas dentários, o controle e as medidas de proteção aos dentes afetados podem diminuir as chances de necrose pulpar ou até mesmo de perda do dente.

Foto: Shutterstock.com

Um trauma é capaz de "matar" um dente?

Sim. Quando um dente sofre um trauma, ocorre a inflamação da polpa dentária. Quando traumatizamos uma parte do nosso corpo, aquele local "fica vermelho", sofre inchaço e apresenta dor. Esses são os sinais da inflamação, que ocorre porque naquela região esta ocorrendo aumento de fluxo sanguíneo com maior aporte de células de defesa. É o nosso sistema imunológico tentando se proteger e se reparar. No caso do dente, quando a polpa dentária inflama por trauma ou qualquer outro motivo, há também o aumento do fluxo sanguíneo em seus canais interiores. Como ele possui paredes rígidas, não sofre "inchaço", levando a um aumento de pressão no interior dos canais, que pode causar necrose pulpar (morte da polpa dentária). 

O dente pode "morrer" e o paciente não sentir nada por um tempo. A polpa dentária necrótica se transforma em alimento para as bactérias que dominam o canal do dente e atingem o osso da região do ápice da raiz. Elas se multiplicam até que, em algum momento, caso não diagnosticado, esse problema dentário pode evoluir para uma infecção de maior intensidade e gravidade. 

Como funciona um tratamento do canal?

O tratamento endodôntico é a limpeza e desinfecção do canal dentário. Através de instrumentos e substâncias específicas é realizada a remoção da polpa necrosada, bactérias e parte das paredes do canal que foram infectadas.  Após a limpeza do canal é realizado o selamento através da obturação de canal com material específico, para que as bactérias da boca não tenham acesso ao canal e ao osso que circunda o dente. Hoje, com a evolução dos equipamentos odontológicos como localizador apical e motor endodôntico, o processo do tratamento do canal é mais rápido e eficiente. Com tecnologia as consultas ficam mais curtas e confortáveis para o paciente. 

O dente fica com vida útil reduzida após o tratamento?

O acesso ao canal durante o tratamento remove parte importante da estrutura dentária, o que pode fragilizar o dente. Após o tratamento endodôntico é muito importante que seja realizada a restauração do dente. Esta pode ser realizada em resina ou coroa protética, isso depende do quanto ficou de remanescente dentário após o tratamento. Como na maioria dos casos o paciente já chega ao consultório com uma perda de estrutura dentária por cárie, e essa perda é aumentada para que se tenha acesso aos canais do dente durante o tratamento, na maioria dos casos o mais aconselhável é realizar a confecção de uma coroa dentária para proteção do dente. A Coroa protética envolve todo o dente, prevenindo fratura das paredes remanescentes ou, até mesmo, da raiz dentária.

Quais são as melhores dicas após o tratamento?

Como foi dito anteriormente, a polpa dentária, com sua inervação/vascularização, nos avisa que algo não está correto, através de sinais físicos como a dor. Após tratamento endodôntico, perdemos essa sensibilidade a estímulos que podem nos indicar um dano ao dente. Você pode ter cárie no dente tratado endodonticamente e não sentir nada até que, um dia, essa cárie destrua grande parte da estrutura dentária, levando à perta do dente. Para evitar isso faça sempre uma boa higiene bucal com escova e fio dental, visite seu dentista regularmente (a cada 6 meses) e tenha uma alimentação saudável. Na saúde, a melhor saída sempre é a prevenção e o cuidado.
____________________________________________________________________________________________________________

Daiana Yoshimoto graduou-se na USP, é especialista em ortodontia e endodontia. 
Atende na Lis Odonto, Av Brigadeiro Faria Lima

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
publicidade