PUBLICIDADE
Logo do

Mau Hálito

Karol Conká fala de mau hálito de Lucas; como alertar?

Um comentário feito pela Karol Conká neste sábado está causando polêmica fora da casa do BBB21

31 jan 2021 12h52
Publicidade
Foto: RD1

Um comentário feito pela Karol Conká neste sábado está causando polêmica fora da casa do BBB21. Segundo a cantora, seu colega de reality Lucas Penteado sobre de mau hálito. “Vamos ter que aguentar a 'cara de bunda' dele aqui. E vou falar 'e você lava a louça calado. Calado, não quero ouvir tua voz, não quero sentir esse teu bafo hoje. E esse bafo não é normal. Esse mau hálito é de ruindade. Agora eu tô entendendo porque ele tem mau hálito forte, é de ruindade", disse.

O comentário foi feito após uma longa noite de discussões entre os integrantes da casa e Lucas, que chegou a cogitar desistir do jogo. Independentemente das motivações da briga, nunca é agradável ouvir que se tem mau hálito, sobretudo em rede nacional. Nesse caso, como Karol deveria ter avisado Lucas sobre a sua condição?

Alertar alguém que está com mau hálito é uma das situações mais delicadas que qualquer um pode passar: tanto a pessoa que tem, quanto a pessoa que avisa. Mas é muito importante que alguém toque no assunto. Apesar de ser incômodo e constrangedor, dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que quase 40% da população mundial é afetada pelo problema, e a maioria dos portadores não sabem sofrem de halitose.

Se a pessoa for próxima, a situação é até mais fácil de driblar, afinal, é possível, sempre com jeito, abordar o tema, principalmente se se tratar de sua cara-metade. Saiba que pesquisa feita pelo site de namoro ouldliketomeet.me, do Reino Unido, com mais de mil pessoas, constatou que 79% acreditam o mau hálito é a principal causa de término dos relacionamentos.

No trabalho
Se você já teve de dar um passo atrás na hora de conversar com um colega para evitar que o ‘bafo de onça’ dele alcançasse as suas narinas, a situação é mais sutil. Caso almoce com a pessoa, trabalhe na mesma equipe, divida decisões, é possível tocar no assunto de forma discreta, sem brincadeiras, para que o outro não se sinta humilhado. Caso não seja íntimo o suficiente, mas quer ajudar quem é alvo de comentários maliciosos, quem deve tomar a iniciativa é o RH. Muitas empresas têm serviço de comunicação interna para tratar tais assuntos. Há quem seja adepto também de bilhetes anônimos, cuja mensagem deve ser sutil e simpática.

Por e-mail
Para facilitar a vida das pessoas, algumas associações e clínicas desenvolveram mecanismos anônimos de alerta via internet. A Associação Brasileira de Halitose (ABHA), por exemplo, criou o SOS Mau Hálito, por meio do qual é possível avisar um colega mantendo a identidade sob sigilo. Em ambos os casos, basta fornecer o nome e o e-mail de alguém que sofre do problema que a entidade se encarrega de enviar um comunicado, gratuito e gentilíssimo, orientando sobre possíveis causas, formas de tratamento e explicando sobre a fadiga olfatória, que faz com que a pessoa não perceba o odor que exala de sua própria boca.

O resultado é surpreendente: pesquisa realizada pela ABHA mostra que em 99% dos casos o portador de mau hálito, embora inicialmente tenha se sentido constrangido, ficou agradecido à pessoa que tomou a iniciativa, por sentir que esta lhe queria bem.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
Publicidade