Uso de escova interdental pode acabar com cárie, diz especialista

1 abr 2013
09h28
atualizado às 10h07
  • separator

Para muita gente, higiene bucal é sinônimo de escovar os dentes. Mas a saúde das gengivas é tão importante quanto a dos dentes. A ferramenta mais conhecida para garantir uma boca livre de periodontites é o fio dental, mas há quem defenda que é importante complementar a higienização com as escovas interdentais. “O fio dental é parte fundamental para eliminar detritos que permanecem nos espaços que a escova não chega, mas ele não limpa a região côncava entre os dentes”, diz o professor de odontologia da Anhanguera UNIBAN, Hugo Lewgoy.

 O especialista afirma, inclusive, que esse pode ser o passo que difere os países que conseguiram controlar a cárie e os países que permanecem com esta doença como uma verdadeira epidemia. “A utilização da escova interdental é inerente à rotina dos cidadãos europeus e faz toda diferença no controle das doenças relacionadas à má higienização oral”.

O indicado é usar a escova interdental uma vez ao dia, no entanto, é importante pedir orientação ao dentista para optar pelo melhor modelo. “Escovas com centro metálico muito espesso com cerdas curtas e duras, tornam a limpeza ineficiente e traumática, ao mesmo tempo, a escova muito fina não higieniza de forma adequada e, se for muito grossa, não se encaixa ou não entra no espaço entre os dentes", alerta Lewgoy.

Segundo o cirugião-dentista, Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes, consultor científico da ABO, existe um mito, inclusive entre os dentistas, de que as escovas interdentais são indicadas apenas para quem tem dentes separados ou espaços grandes entre os dentes. Hoje em dia, é possível encontrar no mercado escovas de 0,4 mm de diâmetro, tamanho que antes variava entre 0,5mm e 1.3mm. “São raros os casos em que o espaço entre dentes é tão estreito que só o fio dental pode atingi-lo”, assegura. 

Moraes conta, ainda, que as escovas interdentais têm incentivado muitas pessoas a dar mais atenção à higiene oral, isso porque elas julgam o manuseio mais prático que o fio dental. “Na dúvida, fique com os dois e consulte o seu dentista”, recomenda

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados. Fonte: Terra
publicidade