PUBLICIDADE

Chupeta pode causar ‘mordida aberta’; saiba mais

30 jul 2013 - 07h03

Junto com a paixão pelo filho, a mãe desenvolve a paixão pela chupeta. Como em um passe de mágica, aquele pequeno objeto faz a criança parar de chorar e, muitas vezes, dormir horas seguidas. Por isso, antes mesmo de completar um mês de vida, muitos bebês já estão habituados a chupar chupeta. 

A Academia Norte-Americana de Pediatria aprova o uso da chupeta na hora de dormir. A explicação seria que ela ajuda a diminuir o risco da morte súbita. No entanto, só deve ser oferecida a partir do momento em que a amamentação já esteja estabelecida
A Academia Norte-Americana de Pediatria aprova o uso da chupeta na hora de dormir. A explicação seria que ela ajuda a diminuir o risco da morte súbita. No entanto, só deve ser oferecida a partir do momento em que a amamentação já esteja estabelecida
Foto: Shutterstock

A Academia Norte-Americana de Pediatria aprova o uso da chupeta na hora de dormir. A explicação seria que ela ajuda a diminuir o risco da morte súbita. No entanto, só deve ser oferecida a partir do momento em que a amamentação já esteja estabelecida. Isso porque muitos profissionais defendem que os bicos podem acarretar no desmame precoce. “Há uma confusão provocada pelo modo diferente de sucção entre o peito (movimento de ordenha) e a mamadeira (sucção negativa), ao mesmo tempo, a mamadeira supre apenas a fome fisiológica do bebê e não a necessidade de sucção, a criança pode ficar irritada e inquieta, até que seja utilizada a chupeta ou a sucção do dedo”, explica a odontopediatra Rosana de Fátima Possobon, da área de Psicologia Aplicada da Faculdade de Odontologia da Unicamp.  

Segundo a fonoaudióloga Luciana Cardoso Assuiti, chefe do Núcleo de Fonoaudiologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina, com dois anos já é possível perceber alterações dentárias e no processo de desenvolvimento de fala e linguagem. “Quando a criança é pequena oriento as mães a não oferecer a chupeta antes de a amamentação estar bem estabelecida, e, geralmente, após 15 a 20 dias, as crianças nem querem mais, pois já há satisfação da sucção no seio materno”, diz. 

Complicações
Os hábitos de sucção da chupeta promovem o fortalecimento dos músculos da bochecha e diminuem a atuação da língua dentro da boca, predispondo a um estreitamento da arcada dentária, a falta de espaço para o nascimento dos dentes e apinhamento, popularmente conhecido como 'dente torto' ou 'dente montado'.  “A interposição de algo entre os dentes superiores e inferiores pode interferir no crescimento da região impedindo que os dentes se toquem, a este distúrbio damos o nome de mordida aberta”, afirma o cirurgião-dentista Rogério Pavan, especialista em ortodontia. 

Pavan explica que, frequentemente, estas alterações bucais estão associadas a quadros de amidalites, adenoides, otites e outros distúrbios de ordem respiratória. “Não são raros casos de bronquite asmática associada a estas deformidades”, relata.

Truques para dar adeus à chupeta
Vale lembrar que, caso os pais optem pelo uso da chupeta, é importante removê-lo no momento necessário e saber usar esses dispositivo. “O ideal seria a remoção até os dois anos de idade para facilitar que os dentes voltem para o lugar e a mordida não seja prejudicada”, diz Daniela Raggio, professora de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da USP.

Luciana Assuiti também destaca que o uso da chupeta deve ser limitado somente na hora de dormir. Assim que a criança pegar no sono, os pais devem retirá-la da boca e não deixar levá-la para a escola, nem colocar objetos juntos, como, por exemplo, o tão conhecido “cheirinho” ou mesmo outras chupetas amarradas juntas.

Segundo a psicóloga Miriam Barros, os pais precisam ter paciência na hora de tirar esse hábito. “Os pais podem substituir a chupeta por um brinquedo e tratar deste momento como algo importante a ser conquistado pela criança que está crescendo e deixando de ser bebê”, diz.

Um meio de conseguir o feito é recompensá-la quando conseguir ficar sem a chupeta. Pode ser com um passeio, um brinquedo ou até mesmo um doce que a criança goste.
Também vale usar histórias infantis sobre personagens que as crianças gostem e enfatizar o não uso da chupeta por eles. “Podem conversar com os personagens e fazê-los falar com a criança sobre o assunto”, indica Miriam.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
Fonte: Terra
Publicidade