PUBLICIDADE

Pneumonia bacteriana: entenda a infecção descoberta e tratada em Paulo Gustavo

Um aspecto importante a observar nos pacientes com pneumonia bacteriana é o nível de oxigênio no sangue

27 abr 2021 15h41
| atualizado em 17/5/2021 às 18h20
ver comentários
Publicidade
O ator Paulo Gustavo está internado na UTI em estado grave tratando de complicações da Covid-19
O ator Paulo Gustavo está internado na UTI em estado grave tratando de complicações da Covid-19
Foto: TV Globo/Divulgação / Saúde em Dia

Paulo Gustavo desenvolveu uma pneumonia bacteriana durante sua internação na UTI para tratar de complicações da Covid-19. Apesar do problema e de seu estado grave, o ator tem apresentado evidências de melhora na função pulmonar, segundo os médicos que o acompanham. 

Afinal, o que é a pneumonia bacteriana?

Esse tipo de pneumonia, como o próprio nome diz, é causada por bactérias que penetram no espaço alveolar, espaço onde é feita a troca gasosa.

O diagnóstico de pneumonia bacteriana pode ser feito por meio de exame clínico, auscultação pulmonar, uma técnica usada pelos médicos para identificar ruídos pulmonares, e radiografias de tórax.

A pneumonia bacteriana pode ser contagiosa em alguns casos, mas as chances de contágio são pequenas O tratamento da pneumonia depende do estágio em que a doença está.

Não são todos os casos que necessitam de internação. No caso de Paulo Gustavo, que está internado desde 13 de março em um hospital particular no Rio de Janeiro, um importante aspecto a observar é o nível de oxigênio no sangue.

Para isso existe o chamado oxímetro, aparelho para medir o nível de oxigênio no sangue. Além dos antibióticos, inalações, medicamentos como antitérmicos e analgésicos são utilizados para expulsar a bactéria.

Qual a diferença entre pneumonia viral e bacteriana? 

A pneumonia viral pode ser desencadeada por gripes e resfriados, como o Influenza A, B ou C, H5N1, H1N1 e até mesmo o novo coronavírus. Para influenza, adenovírus e vírus sincicial respiratório também podem ser agentes que colaboram para o agravamento da pneumonia.

Já a pneumonia bacteriana é causada pelo Streptococcus pneumoniae, conhecido popularmente como pneumococo. Outras bactérias como micoplasma, clamídia e legionella são consideradas atípicas, mas podem acabar ajudando no desenvolvimento da condição. Existe também a possibilidade de uma infecção mista composta por mais de um tipo bacteriano.

Ambientes fechados e ventilados por meio de ar condicionado, tabagismo e alcoolismo são grandes influenciadores para o aparecimento de uma pneumonia bacteriana.

O ECMO e a COVID

Em 2 de abril o ator foi submetido ao ECMO, sistema de oxigenação extracorpórea através da membrana, que funciona como um pulmão e um coração artificial ao paciente.

O aparelho tem sido utilizado em alguns casos de complicações causadas pela Covid-19, porém seu uso ainda é restrito tanto na rede pública quanto privada. 

"Esse dispositivo tem sido utilizado com uma frequência maior nos pacientes com evolução desfavorável de complicações da Covid, sobretudo quando verificamos a diminuição da faixa etária desses pacientes. Contudo, não podemos dizer que é de utilização comum", ressalta João Galantier, médico assistente da UTI adulto do HCor e especialista em ECMO. 

No SUS, o aparelho pode ser empregado em cirurgias cardíacas, mas está presente em poucos centros especializados, como Instituto do Coração e do Câncer. 

Em uma entrevista à CNN, a médica cardiologista Ludhmila Hajjar, que foi cotada para o Ministério da Saúde, afirmou que em 2015 a Comissão Nacional de Incorporação de Novas Tecnologias no SUS (Conitec) barrou o uso do aparelho para tratamentos de doenças respiratórias. 

A justificativa é que, além do custo elevado da máquina (cerca de R$ 30 mil/diária), ainda é necessário que haja estrutura hospitalar e equipe qualificada para manipular o equipamento. 

A mesma justificativa também se aplica à rede privada, já que a maioria dos planos de saúde não cobre os gastos desse tratamento em específico. 

Consultoria: João Galantier, médico assistente da UTI adulto do HCor e especialista em ECMO. 

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade