PUBLICIDADE

Neurologista revela 7 atividades que melhoram a saúde do cérebro

Até mesmo ficar sem fazer absolutamente nada pode ser benéfico para a mente. Saiba como potencializar a saúde do cérebro

2 jul 2022 - 11h03
Ver comentários
Publicidade
Saúde do cérebro também depende dos seus hábitos
Saúde do cérebro também depende dos seus hábitos
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

Buscar maneiras de melhorar a saúde do cérebro é uma tendência que não para de crescer. Principalmente após o início da pandemia de Covid-19, muitas pessoas começaram a dar mais valor para temas psicológicos, neurológicos e tudo que envolva o bem-estar mental. O confinamento imposto pelo coronavírus e todos os aspectos negativos que estão atrelados ao problema, de certa forma, evidenciaram algumas outras questões.

"Somos constantemente bombardeados com informações, atualizações, demandas ativas e passivas, que podem gerar um enorme amontoado de estresse, ansiedade, insônia e síndrome de burnout. Tirar uma pausa de alguns dias pode auxiliar na produtividade, velocidade de processamento cerebral e saúde cerebral de forma geral, criatividade, satisfação profissional e pessoal", explica o Dr. Gabriel Novaes de Rezende Batistella, médico neurologista e neuro-oncologista, membro da Society for Neuro-Oncology Latin America (SNOLA).

Dessa maneira, o especialista separou sete atividades simples que podem evitar e combater possíveis problemas relacionados à saúde do cérebro. Confira:

1 - Praticar exercícios - "Mesmo durante as férias, vale a pena praticar algum tipo de atividade física. Os exercícios regulares podem auxiliar na redução do estresse, manutenção do peso durante um período de maior tendência a consumir alimentos calóricos e bebidas alcoólicas, além de ajudar no sono", diz o neurologista.

2 - Ouvir música - "Esse é um hábito que traz comprovadamente benefícios para o cérebro, mas, obviamente, depende do estilo musical escolhido e como ele é usado. Músicas podem ativar diversas áreas do cérebro em concomitância, auxiliando no aprendizado, foco, mas podem também prejudicar um aprendizado se forem músicas com letras que tomem a atenção do paciente. Acaba sendo algo pessoal, e cada paciente vai encontrar sua playlist dedicada ao momento", diz.

3 - Dormir - "Durante as férias temos maior liberdade para dormir até mais tarde, algo que por si só já pode compensar as horas necessárias para dormir. Mas, também podemos organizar um horário preferencial para dormir, sem estresse ou anseios, que pode ser mantido por muito tempo após o término das férias. Devemos aproveitar as férias para ajustar nosso relógio interno", diz o médico.

4 - Desenvolver novas habilidades manuais - "Pode ser muito bom para alguns pacientes desenvolver atividades manuais, justamente por serem um tipo de terapia em diversos contextos", conta o Dr. Batistella. Nesse caso, vai de acordo com o gosto de cada pessoa. Você pode desenhar, fazer artesanato ou aprender um novo jogo. As possibilidades são enormes.

5 - Ter contato com a natureza - Segundo o neurologista, entrar em contato com a natureza provoca, comprovadamente, estímulos benéficos ao cérebro. Tanto que é uma forma terapêutica para pacientes psiquiátricos e com distúrbios neurológicos do espectro autista.

6 - Visitar pessoas queridas - Fortalecer o ambiente social pode ser uma atividade fantástica para a saúde cerebral. Mas, é preciso ter cuidado. "Ficar em ambientes sociais ruins ou com desavenças acabaria sendo prejudicial", diz.

7 - Não fazer nada - Reservar um tempo para ficar, literalmente, sem fazer nada também pode ser uma boa alternativa para melhorar a saúde do cérebro. "Pode ser muito benéfico tirar um tempo para si. Cabe aqui também incentivar a atividade de meditação, assim como o mindfulness, hoje tão em alta", finaliza o Dr. Batistella.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade