PUBLICIDADE

Mau hálito: como prevenir e tratar

Especialista diz que "a falta de uma boa escovação antes de dormir e baixa hidratação pode piorar a situação"

28 jul 2021 10h40
ver comentários
Publicidade
Mau hálito: como prevenir e tratar
Mau hálito: como prevenir e tratar
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

O mau hálito é um dos incômodos causados na boca, que muitas vezes as pessoas não sabem de onde vem e como pode ser tratado, pois diversos fatores influenciam nisso,  como a falta de higienização correta, acúmulo de placa, cálculo dental, dentes cariados, língua com saburra, cáseos na amígdalas, inflamações na gengiva, ou até baixa quantidade de saliva.  

Segundo a Dra. Bruna Conde, cirurgiã dentista, problemas otorrinolaringológicos que engloba sinusite, desvios de septo, obstruções nasais e gotejamento retro nasal também provocam o mau hálito. Porém, 90% dos casos de mau hálito estão relacionados à problemas na boca.

"Todas as pessoas tem mau hálito quando acordam, devido ao longo período que passam em jejum e ao baixo nível de saliva durante o sono. Mas a falta de uma boa escovação antes de dormir e baixa hidratação, também pode piorar a situação, pois os restos de comida presentes entre os dentes e na língua fermentam, aumentando o odor na boca", explica a dentista.

Mas, quando esse desconforto se torna anormal, isto é, persiste ao longo do dia, é necessário procurar um dentista especializado em mau hálito. "A língua, bochecha, garganta e lábios precisam estar saudáveis assim como o funcionamento das glândulas salivares também.

"Quando o acompanhamento com o dentista está em dia e mesmo assim o problema persiste, é hora de procurar uma otorrinolaringologia e um gastroenterologista para que dessa maneira possam avaliar o funcionamento de outros órgãos que colaboram com o surgimento do mau hálito", esclare a especialista.

A Dra. Bruna ressalta ainda que caso o paciente já esteja com o problema, o dentista especializado no tratamento em halitose pode recomendar alguns cuidados especiais que vão desde a remoção de tártaro e raspagem dentária até o uso da tecnologia de laserterapia para atuar na saburra lingual e cáseos amigdalianos (pequenas bolinhas brancas que podem surgir na salivação).    

É importante usar regularmente o fio dental, apostar em raspadores de língua para remover a saburra lingual. Vale prestar atenção em como anda a qualidade do seu sono, pois pode afetar diretamente no hálito da boca e beber a quantidade de água ideal para cada pessoa. 

Além disso, lembre-se de comer alimentos que contribuem para combater esse desconforto. De acordo com o site Sport Life, a maçã, cenoura e pepino atuam como limpadores dentais principalmente quando consumidos cru, pois evitam o acúmulo de bactérias causadoras do mau hálito.

Canela, gengibre e hortelã também são opções que podem ser incluídas no cardápio para essa finalidade pelo fato de agirem no organismo como antioxidante, adstringente e termogênica.

Consultoria: Dra. Bruna Conde, cirurgiã dentista (CRO SP 102.038) e informações do Sport Life.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade