0

Em caso raro, mulher acorda após 27 anos em coma

Munira Abdulla, dos Emirados Árabes, ficou inconsciente a partir de 1991, após um acidente de carro.

23 abr 2019
16h43
atualizado às 17h52
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma mulher dos Emirados Árabes que ficou gravemente ferida num acidente de carro em 1991 acordou do coma após 27 anos. O caso foi revelado nesta terça-feira pelo filho dela.

Munira Abdulla, dos Emirados Árabes Unidos, ficou inconsciente a partir de 1991, após um acidente de carro
Munira Abdulla, dos Emirados Árabes Unidos, ficou inconsciente a partir de 1991, após um acidente de carro
Foto: Science Photo Library / BBC News Brasil

Munira Abdulla, que tinha 31 anos na época do acidente, sofreu lesões cerebrais quando o carro onde estava bateu num ônibus. Ela tinha acabado de buscar o filho na escola.

Quem estava conduzindo o veículo era o cunhado de Munira. O filho, Omar Webair, que tinha quatro anos na época, estava no banco de trás do veículo e não se feriu.

Munira foi internada e entrou em coma. No ano passado, recobrou a consciência, num hospital alemão para onde foi transferida há dois anos.

Em entrevista ao jornal The National, que circula nos Emirados Árabes, Omar revelou detalhes sobre o acidente e a recuperação da mãe.

'Ela me abraçou para me proteger'

"Eu nunca desisti dela, porque sempre tive a sensação que um dia ela acordaria", disse Omar, ao jornal.

"O meu motivo para compartilhar a história dela é dizer para as pessoas não perderem a esperança. Não considerem que a pessoa que você ama está morta, se ela se encontrar nesse estado", afirmou.

Omar disse que Munira estava sentada no banco de trás do carro, ao lado dele, quando o acidente aconteceu. "Quando viu que o carro iria bater, ela me abraçou para me proteger do impacto", contou.

Ele sofreu apenas um pequeno ferimento na cabeça. A mãe demorou horas para ser atendida.

Anos de tratamento

Munira Abdulla foi levada ao hospital e, depois, transferida para Londres. Lá, declararam que ela estava em estado vegetativo- inconsciente, mas capaz de sentir dor.

Munira, então, foi transferida aos Emirados Árabes, para a cidade de Al Ain, na fronteira com Omã, onde vivia antes do acidente. Passou, depois, por vários hospitais, seguindo orientações e exigências dos planos de saúde.

Durante esse período, era alimentada por um tubo e fazia fisioterapia, para que os músculos não atrofiassem.

Em 2017, a família recebeu um benefício da Corte Real, um órgão governamental de Abu Dhabi, para que Munira fosse transferida para a Alemanha.

Lá, ela passou por uma série de cirurgias para corrigir o encurtamento nos braços e nas pernas, e recebeu medicação para melhorar seu quadro geral de saúde.

Discussão no hospital

Um ano depois, em 2018, Omar se envolveu numa discussão no quarto de hospital de Munira. O incidente parece ter impactado a mãe, que pareceu ficar agitada.

"Houve um mal entendido no quarto e ela sentiu que poderia estar em risco, o que causou nela um choque", diz Omar.

"Ela começou a fazer barulhos estranhos e eu pedia para os médicos a examinarem, mas eles diziam que estava tudo normal."

Omar conta que, três dias depois, acordou com o que parecia ser o som de alguém tentando chamá-lo pelo nome.

"Era ela! Ela estava dizendo meu nome. Por anos, eu sonhei com esse momento e o meu nome foi a primeira coisa que ela disse."

Com o tempo, Munira foi melhorando a comunicação e a capacidade de resposta. Hoje em dia, reage à dor e consegue manter alguns diálogos.

Ela voltou a Abu Dhabi, onde faz fisioterapia e outros tratamentos de reabilitação, principalmente focados em manter a postura sentada e prevenir que os músculos contraiam.

Casos como o de Munira são raros

Há poucos casos de pessoas que conseguem recobrar a consciência após vários anos em coma. E quando isso ocorre, a recuperação costuma ser muito lenta.

É impossível prever as chances de alguém em estado vegetativo melhorar, diz o NHS, o serviço de saúde pública do Reino Unido.

Pessoas que recobram a consciência, muitas vezes, apresentam deficiências provocadas pelos danos cerebrais. Um caso famoso foi o de Terry Wallis, um americano que se envolveu num acidente de carro quando tinha 19 anos e que "acordou do coma" após passar 19 anos em estado quase vegetativo.

A recuperação foi tão impressionante que os médicos consideram a possibilidade de ter havido um renascimento de tecidos cerebrais.

Michael Schumacher foi colocado em coma induzido após um grave acidente de esqui
Michael Schumacher foi colocado em coma induzido após um grave acidente de esqui
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

O ex-campeão de Fórmula 1 Michael Schumacher sofreu um grave trauma cerebral num acidente de esqui na França, em 2013. O alemão foi colocado em coma induzido por medicamentos por seis meses antes de ser transferido para a sua casa na Suíça, onde continua o tratamento.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade