PUBLICIDADE

Incômodo ao olhar para a luz? Pode ser fotofobia; entenda

Médico oftalmologista explica o que é a fotofobia e como deve ser feita a prevenção e tratamento do problema

12 jan 2023 - 13h04
(atualizado às 19h18)
Compartilhar
Exibir comentários
Incômodo ao olhar para a luz? Pode ser fotofobia; entenda
Incômodo ao olhar para a luz? Pode ser fotofobia; entenda
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

Provavelmente você já sentiu algum incômodo ao olhar para a luz. Mas, para algumas pessoas, essa sensação é insuportável. Tanto que ela chega a ser associada a diferentes doenças oculares - este é o caso da fotofobia.

"Fotofobia é quando um paciente tem aversão à luz. Então sempre que ele está em um ambiente menos iluminado e vai para um local com mais luz, seja artificial ou solar, ele sente desconforto e se vê obrigado a fechar os olhos por conta dessa claridade excessiva", explica o médico oftalmologista e professor do curso de Medicina da Faculdade Pitágoras, Dr. Abraão Neto Kós.

As causas da fotofobia são inúmeras. Entre elas, há o olho seco moderado ou severo e quadros de cefaleia moderada. Além disso, o paciente pode apresentar a condição em decorrência de problemas oculares como inflamações, tais como uveíte ou até mesmo a catarata.

De acordo com o oftalmologista, pessoas com olhos claros têm maior sensibilidade à claridade, devido à menor pigmentação. Já os olhos escuros,por sua vez, possuem mais pigmento, o que oferece maior proteção. Ainda assim, o médico esclarece que não existe um grupo específico para desenvolver a fotofobia, já que a condição depende de diversos fatores.

Quem tem e quais os sintomas da fotofobia?

Por exemplo, o caso do olho seco, geralmente atinge mulheres de meia idade ou no início da menopausa. Agora, quando o agente desencadeador é a catarata, o alvo são os idosos. E, nas crianças, a causa é geralmente o uso excessivo de telas, como de computadores, tablets, celulares e tvs. Portadores de astigmatismo também são mais afetados pela fotofobia. Isso porque a disfunção oftalmológica se caracteriza pela alteração na córnea, provocando maior sensibilidade.

Entre os sintomas, o Dr. Abraão ressalta que vale ficar atento à: vermelhidão nos olhos; dores de cabeça, ardor e inchaço ocular, além da necessidade de fechar os olhos quando exposto à claridade.

Prevenção e tratamento

A melhor maneira de prevenir quadros de fotofobia é com a boa lubrificação dos olhos, utilizando colírio prescrito pelo oftalmologista que identifica a fotofobia e o olho seco. "Por vezes, o uso de óculos escuro ou óculos com proteção UVA e UVB é uma indicação de proteção. Em tratamento mais modernos, é comum utilizar as lentes Blue Control, com efeito antirreflexo que bloqueia a luz azul de telas de computador, celulares e luzes artificiais", acrescenta o especialista.

O tratamento está inteiramente ligado aos procedimentos de prevenção que são indicados pelo médico oftalmologista. Isto ocorre após análise clínica e conhecimento do histórico de cada paciente.

Saúde em Dia
Compartilhar
Publicidade
Publicidade