PUBLICIDADE

Diabetes? Como controlar?

Ela é uma doença crônica que requer cuidados durante a vida inteira

2 jun 2021 12h32
ver comentários
Publicidade
Alguns dos sinais da doença são sede, vontade de fazer xixi e visão turva
Alguns dos sinais da doença são sede, vontade de fazer xixi e visão turva
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

A diabetes ocorre quando a glicose não consegue penetrar nas células e fica no sangue. A maior parte dos alimentos que as pessoas comem se transformam em glicose que é usada como fonte de energia.

O organismo produz a insulina no pâncreas, que sintetiza essa glicose e ajuda a entrar nas células. Se o corpo não produz insulina em quantidade suficientes ou se a insulina não age de forma adequada, surge a diabetes. 

Segundo a Dra. Valéria Goulart, a diabetes é uma doença crônica que merece atenção e cuidados. É fundamental fazer escolhas saudáveis, se alimentar bem com produtos mais naturais, consumir verduras, frutas e legumes. Além disso, é essencial tomar cuidado com a frutose de algumas frutas que viram açúcar no sangue.

Para controlar a diabetes o ideal é manter os níveis de glicose no sangue, praticar atividade física pelo menos uma caminhada de 30 minutos por dia. Se a pessoa estiver acima do peso, deve controlar, perder peso e se manter dentro das metas. Em alguns casos o paciente deve fazer uso de medicamentos e controlar a pressão arterial ou injeção de insulina que ajudam a melhorar à saúde e os níveis de colesterol.

Existem dois tipos de diabetes, a tipo 1 e tipo 2. A diabetes tipo 1 se desenvolve cedo em crianças e jovens, pois as células do pâncreas param de produzir insulina porque o corpo ataca ou destrói elas. A diabetes tipo 2 é a forma mais comum chamada de adquirida. Ela pode se desenvolver em qualquer idade, mas aparece mais comumente após os 40 anos.

A médica ressalta ainda que no caso da diabetes tipo 2, ela pode ser hereditária. Mas isso não quer dizer que todo filho de diabético terá a doença. Tudo depende da forma e estilo de vida que essa pessoa leva. 

Há cerca de 50 genes que podem aumentar ou diminuir o risco de desenvolver a diabetes tipo 2.  O diagnóstico é feito por meio do exame de sangue, o que é chamado de "curva glicêmica". Que analisa os níveis de glicose no sangue em um determinado período. O exame é feito em diversas etapas, em que são coletadas amostras de sangue em um tempo determinado, geralmente a cada 30 minutos. Nos intervalos, o paciente deve ingerir um xarope de glicose. Os resultados são dispostos em um gráfico e permitem o diagnóstico preciso.

Vale ressaltar que em alguns casos a diabetes não apresenta sintomas, então o ideal é prestar atenção a pequenos sinais, como sede, vontade de fazer xixi, visão turva, fome e cansaço e fadiga.

Consultoria: Dra. Valéria Goulart, endocrinologista, nutróloga com título de especialista pela Associação Brasileira de Nutrologia.  

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade