PUBLICIDADE

O que muda na reabertura dos parques da Disney em 2021

Depois de um ano suspensa por conta do coronavírus, a Disneyland, na Califórnia, volta a funcionar, mas ainda com muitas restrições.

1 mai 2021
11h00 atualizado às 14h23
0comentários
11h00 atualizado às 14h23
Publicidade

Quando os parques da Disney no mundo inteiro suspenderam suas atividades em meados de março de 2020, o baque foi grande. Sinônimo de férias e diversão, as icônicas atrações de portas fechadas pareceram simbolizar bem os tempos sombrios que estavam chegando. As viagens em famílias para o exterior foram canceladas, países fecharam suas fronteiras para turistas - algumas continuam, inclusive, para brasileiros - e só agora, com a vacinação em massa atingindo porcentagens maiores no mundo todo, a retomada do lazer começa a acontecer.

mickey-disneyland
mickey-disneyland
Foto: Anadolu Agency / Colaborador/Getty Images / Bebe.com

Apesar do complexo da Disney World, na Flórida, já ter reaberto em julho de 2020, a empresa manteve o parque na Califórnia fechado por conta da situação mais crítica do estado norte-americano. Segundo estimativa da divisão de Parques, Experiências e Produtos da Disney, a decisão rendeu um prejuízo de US$ 119 milhões em relação ao lucro de um ano antes.

Mas agora a Disneyland e o Disney California Adventure voltaram a funcionar no dia 30 de abril. Com mudanças, é claro. A pandemia obrigou que o grupo adotasse um protocolo sanitário bem restritivo em seus parques. Máscaras, medição de temperatura, distanciamento social nas filas, automatização dos pagamentos e higienização dos passeios são parte da rotina agora.

Ingressos concorridos 

Mas nem adianta ir se animando. Por enquanto, apenas moradores da Califórnia poderão entrar no parque e será preciso confirmar com um registro de residência. O público também precisa comprar o ingresso e reservar a visita com antecedência pelo site - será pedido um QR Code para entrar-, medida que irá valer até o dia 28 de junho. E mesmo com tanta restrição, já teve fila no dia que o primeiro lote foi vendido!

Os ingressos são limitados, já que agora a capacidade máxima foi reduzida e os brinquedos operam com menos tripulantes por vez. Oficialmente, a empresa não diz quantas pessoas especificamente podem circular por lá, mas estima-se que, a lotação máxima da Disneyland era de 85 mil pessoas, com média de 51 mil por dia (em 2019). Agora, o permitido seria algo em torno 30 mil (35%), e podendo variar de acordo com a fase de restrição no estado.

Os chamados FastPass e MaxPass, bilhetes que permitiam "furar a fila" das atrações, estarão suspensos por conta da menor circulação de visitantes. Ah! E sim, as lojinhas continuam abertas, mas com capacidade limitada.

O que chega e o que sai

O castelo da Bela Adormecida continua lá - e até já teve reinauguração na pré-abertura para convidados (veja o vídeo acima) -, mas muita coisa mudou. Durante os meses em que esteve fechada, a Disney aproveitou para reformular e renovar algumas partes do parque.

Entre as 45 atrações com abertura confirmada, temos mudanças em Snow White's Scary Adventures, que foi rebatizada para Snow White's Enchanted Wish, trazendo mais leveza à atração dedicada à Branca de Neve. A famosa Mansão Mal-assombrada também foi reformada por dentro e por fora, enquanto a atualização da polêmica Splash Mountain será lançada em breve com sua nova temática de "A Princesa e o Sapo".

Já o Monorail e o submarino de "Procurando Nemo" fazem parte das atrações que não voltarão agora por conta do alto risco de transmissão, assim como as famosas paradas e o show de fogos que marcava o encerramento de cada dia no parque, numa tentativa de barrar aglomeração. Com muitas demissões, alguns espetáculos como o de Frozen e um do Mickey também foram suspensos.

Outro fator que muda um pouco a rotina do local é que, de acordo com as medidas de saúde e segurança do estado da Califórnia, o parque precisa limitar suas atrações que ficam em espaços fechados e que tenham mais de 15 minutos de duração.

Além disso, os brinquedos terão que passar por limpezas e inspeções sanitárias frequentes, o que vai deixar as filas mais longas, ainda que menos pessoas estejam circulando por lá.

Dos 70 quiosques e restaurantes, apenas 30 estarão funcionando e muitos no esquema digital, onde você faz o pedido pelo seu celular para evitar contato com os vendedores. Mas pode comer em qualquer lugar do parque? Olha, não é recomendado. O correto será abaixar as máscaras apenas nos locais indicados para refeições e nas muitas mesas que foram instaladas para incentivar as refeições ao ar livre.

E desculpe pelas más notícias: mas quem esperava dar aquele abraço no Mickey e na Minnie, já pode ir se conformando. As

medidas de distanciamento social continuam valendo

e os personagens e as princesas só poderão acenar para fotos de longe.

Foto: Bebe.com

Como você pode perceber, os parques podem até reabrir, mas nada será como antes. Com o dólar alto, a crise muito presente e os casos no Brasil só aumentando, só nos resta sonhar com um dia voltar a poder planejar férias na Disney.

Bebe.com
Publicidade
Publicidade