2 eventos ao vivo

15 sinais de que você está num relacionamento abusivo

Saiba como identificar uma relação abusiva e o que fazer para se livrar da situação.

9 jan 2020
19h23
atualizado em 10/1/2020 às 13h08
  • separator
  • 0
  • comentários

Os relacionamentos abusivos envolvem alguns sinais de alerta, que muitas vezes podem passar despercebidos pela vítima. Jogos psicológicos, mentiras e atitudes controladoras são exemplos de ações praticadas por um(a) parceiro(a) abusivo(a).

Foto: cosmaa/Shutterstock
Foto: cosmaa/Shutterstock
Foto: Getty Images / Minha Vida

Outros comportamentos podem até começar como atitudes inocentes e são ignorados de início. Porém, com o passar do tempo, podem prejudicar o bem-estar e até a saúde física de quem vive na relação.

O que é um relacionamento abusivo?

Um relacionamento abusivo é quando uma das partes exerce poder ou pressão excessiva e contínua sobre o outro — o que pode gerar dependência, medo, isolamento, insegurança e impedir que o outro se expresse ou aja livremente.

Vale ressaltar que não são apenas relacionamentos amorosos que podem ser abusivos. Na realidade, a relação entre pais e filhos ou mesmo relações de trabalho também podem ser abusivas. Tal dinâmica pode prejudicar o lado emocional, físico, psicológico, financeiro, cultural, social e sexual da vítima.

Por isso, é importante entender quais são as características de uma relação abusiva para saber o que fazer e como se defender. Muitos continuam na situação porque seguem as regras sociais impostas e acham que aquele é seu lugar — e que não há espaço para questionamento ou confronto.

15 sinais de um relacionamento abusivo

A psicóloga Bianca Bortolini Ferreira do Amaral, que trabalha como terapeuta de casais, elencou 15 sinais para identificar um relacionamento abusivo e compartilhou as informações no site da Prefeitura de Curitiba. Confira cada um:

  1.  Afastamento:  O(a) parceiro(a) não gosta de seus amigos ou parentes e pede (ou pressiona) que você se afaste deles. O medo, neste caso, é que você acabe contando intimidades do casal e quebre a imagem de casal perfeito;
  2. Traição financeira: Ele(a) não fala quanto ganha, não ajuda e não quer que você compre nada, nem com o seu dinheiro e nem com o dele(a). Quer ter uma poupança só para ele(a), da qual você não tem controle;
  3. Abuso e violência sexual: Ele(a) te obriga a ter relações sexuais contra sua vontade. Tal situação é considerada estupro, mesmo dentro de um casamento. Outra violência é quando ele(a) te pressiona a fazer práticas sexuais das quais você não se sente confortável;
  4. Monitoramento: O(a) parceiro(a) é sempre desconfiado(a), pergunta onde você está, com quem está, para onde vai e controla a forma como você se veste;
  5. Diminuição da sua autoestima: Ele(a) te menospreza, compara você com outras pessoas ou sempre te critica, e nada do que você faz é suficiente. Ou, ainda, não quer que você fique mais bonita(o) e boicota sua autoestima, assim como é sarcástico em relação ao seu peso;
  6. Violência física: A violência física se manifesta quando ele(a) te bate, empurra ou segura com força. Mas, segundo a Lei Maria da Penha, não existe apenas a agressão física. Há também outros quatro tipos de violência: psicológica, sexual, patrimonial e moral;
  7. Ameaças: Em um relacionamento abusivo, ameaças acontecem o tempo todo. Ameaças físicas e chantagens emocionais são frequentes;
  8. Humilhação e constrangimento público: Ele(a) faz piadas e comentários inapropriados sobre você em público ou faz você passar por situações humilhantes;
  9. Falta de diálogo: Enquanto ele(a) está sempre te controlando, ele(a) é discreto(a) e não te informa nada sobre sua vida. Não abre espaço para diálogo e acha sempre que está certo(a) em suas atitudes;
  10. Sarcasmo e grosseria: A forma de diálogo dele(a) é sempre através do sarcasmo, grosserias ou deboche. Ele(a) não te leva a sério e sempre menospreza suas opiniões e atitudes;
  11. Paquera outros(as) mulheres/homens: Ele(a) paquera e flerta com outras pessoas, por vezes na sua presença, o que te deixa constrangida(o) e também constrange a outra pessoa;
  12. Te chama de louca(o): Quando questionado sobre suas ações contraditórias, ele(a) se justifica dizendo que "tudo é coisa da sua cabeça" e que "você tem mania de perseguição";
  13. Tenta mudar suas escolhas: Por sua mania de controle, ele(a) manda que você mude seus hábitos e te obriga a se ajustar conforme suas demandas;
  14. Ele(a) diz "eu te amo, mas...": Ele(a) coloca a culpa em você de suas ações agressivas, grosserias, violência física e ciúmes excessivo. Ele(a) afirma que te ama, mas é sempre "você" que provoca estas situações;
  15. Ele(a) ameaça se matar se você o(a) deixar: A ameaça de suicídio é uma forma de te culpar pela separação e possível morte.

Como sair de um relacionamento abusivo?

A psicanalista Raquel Baldo afirma que, em alguns casos, é possível concluir que a relação está prejudicial para ambos os lados e que algo precisa ser feito ou modificado. Entretanto, muitos casos não se resolvem sozinhos e precisam de uma intervenção externa.

Por isso, uma recomendação é procurar um serviço de acolhimento caso você se identifique em uma relação abusiva. Depois, siga com o registro de ocorrência policial, abertura de inquérito e ação na justiça especializada. Este primeiro passo oferece maior segurança para a vítima seguir com os procedimentos.

Veja também:

Ludmilla e Brunna Gonçalves namoram há 7 meses; relacionamento começou há 2 anos

 

Minha Vida
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade