PUBLICIDADE

Elas falam: solteirão convicto não é bem visto pelas mulheres

De acordo com o IBGE, 48,1% dos brasileiros são solteiros e 58,1% das residências com apenas um morador são de homens

5 set 2013 10h50
| atualizado às 10h50
ver comentários
Publicidade

Um estudo da Universidade de Louisville, nos EUA, concluiu que o casamento pode aumentar a expectativa de vida do homem em até 17 anos; outra pesquisa, feita no Reino Unido, mostrou que os solteiros gastam cerca de R$ 8 mil a mais por ano do que os casados. Os dados somados à vida estável, ter uma companheira e família parecem ter cada vez menos prioridade entre os homens: segundo dados do IBGE, 48,1% da população brasileira têm o estado civil solteiro e 58,1% das residências com apenas um morador são de homens solteiros. Mas, para as mulheres entrevistadas pelo Terra, um solteirão convicto com mais de 35 anos é sinal de alerta e elas preferem não se envolver.  

“Eu pensaria que ele tem algum tipo de trauma com relacionamentos anteriores”, disse a auxiliar administrativo Thais Sobral Bezerra. “Às vezes foi traído ou se decepcionou”, acrescentou a assessora de eventos Camila Camasmie. Ou ainda, na opinião da designer de moda Mariah Rodrigues, ele teve a “mãe como autoridade da casa e faltou a referência masculina, por isso se acovarda diante da possibilidade de um compromisso”. Seja qual for o motivo, se o pretendente expusesse o desejo em ficar sozinho, elas se afastariam. “Eu não arriscaria, pois seria apenas um passatempo”, disse Camila.

A assessora de eventos não vê problemas em um homem maduro assumir que quer ficar solteiro, mas criticou os que continuam a viver como se estivessem no auge da juventude. “Acho até legal a convicção, desde que ele não se torne ridículo pelos atos, por exemplo, um homem de 50 anos se comportando como se tivesse 20 aninhos, tentando falar como moleque e agindo como um adolescente”, afirmou ela. “Morar na casa dos pais nessa idade é complicado também”, acrescentou a analista financeiro Gabriela Pedri.

Mas, não é por que a cultura estabelece o ciclo natural de crescer, amadurecer, se casar e formar uma família que quem sai desta risca está errado. “Acho que existem dois tipos de solteirões: o que gosta de pegar geral e nem sempre é sincero com a mulher e o que é mais tranquilo, tem casos discretos e abre o jogo quando à opção por ficar sozinho”, disse Gabriela. Na opinião da analista financeiro, os homens que se sentem bem sem um relacionamento fixo estão cada vez mais comuns.  Cabe à mulher ser consciente sobre o tipo de relação que está procurando, completou Thais.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade