0

Polêmica, redução embrionária é vetada no País

5 set 2012
08h10
  • separator

A redução embrionária consiste na retirada de um dos fetos de uma gestação múltipla. A prática é considerada aborto perante a legislação brasileira. Por isso, só é permitida em casos específicos, como quando a mãe sofre risco de morte por conta da gestação de múltiplos.

A redução embrionária consiste na retirada de um dos fetos de uma gestação múltipla
A redução embrionária consiste na retirada de um dos fetos de uma gestação múltipla
Foto: Dreamstime / Terra



"A redução embrionária pode ser feita em uma mãe que corre risco de vida com a gravidez dos múltiplos. A mulher precisa de dois médicos que atestem que essa gestação é um risco de morte para ela", explica Newton Busso especialista em reprodução humana, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e secretário-geral da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp).



Uma das polêmicas que envolvem o âmbito da reprodução assistida é a gravidez gemelar. Como as fertilizações in vitro não garantem 100% de chances de engravidar, o Conselho Federal de Medicina (CFM) permite que seja feita a transferência de um número máximo de embriões por faixa etária da mulher. Paciente com até 35 anos podem receber no máximo dois embriões; entre 36 e 39 anos, até três embriões; e pacientes com 40 anos ou mais, até quatro células.

Os embriões remanescentes de uma fertilização podem ser congelados para uso posterior do casal, ou até doados para o banco de embriões da clínica. As células não podem ser descartadas. Se o casal não optar por nenhum dos destinos acima, eles ainda podem destinar os embriões para a pesquisa médica.

Redução embrionária
Quando a gravidez é prejudicial à vida da mãe, a ponto de deixá-la exposta a um grande risco de morte, ela pode fazer a redução embrionária. Segundo Newton, a redução pode ser feita em qualquer momento da gravidez, mas o ideal é que seja feita até a 20ª semana. Quanto mais tarde a técnica é realizada, maior o risco para a mulher.

O procedimento é feito com a ajuda do aparelho de ultrassom que guia o médico até o embrião que será retirado. Ela pode ser feita por meio da aspiração do saco gestacional, local onde o bebê se desenvolve até o nascimento, ou com a injeção de cloreto de potássio no coração do feto.

Busca um especialista em Fertilidade? Clique aqui e confira a lista dos profissionais



Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Cross Content
publicidade