PUBLICIDADE
AO VIVO
Estreia do 'Paris É Delas' debate presença feminina nos Jogos Olímpicos 2024

Dia dos Namorados

'Ele nunca me resumiu a minha deficiência': influencer PCD celebra 1º Dia dos Namorados

Marina Melo, 20 anos, que usa cadeira de rodas para se locomover, compartilha a experiência de seu primeiro namoro, com um rapaz de 23 anos

12 jun 2024 - 05h00
(atualizado às 14h47)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Marina Melo, influenciadora PCD, conta que lida com muito preconceito ao se envolver amorosamente com outra pessoa, mas encontrou alguém para chamar de seu e neste Dia dos Namorados acompanhada pela primeira vez, aos 20 anos. Ela conta sobre como lidam o relacionamento, como a relação a ajudou a superar o preconceito e como cuidam um do outro.
Para Marina, seu relacionamento é um ato político
Para Marina, seu relacionamento é um ato político
Foto: Arquivo pessoal

O dia 12 de junho de 2024 será a primeira vez que a influenciadora Marina Melo passará um Dia dos Namorados acompanhada. Aos 20 anos de idade, a produtora de conteúdo está em um relacionamento sério com Victor Martins, 23, resultado de uma simples troca de like em um aplicativo de namoro.

"Eu não esperava dar match com alguém. Quando dei match com ele, fiquei surpresa", afirma Marina em entrevista ao Terra. Marina é PCD (Pessoa com Deficiência), tem fraqueza muscular e precisa usar cadeira de rodas para se locomover; por conta de sua condição física, lidou com muito preconceito ao tentar se envolver amorosamente com outra pessoa. 

Segundo Marina, nos aplicativos de relacionamento é possível ser ela mesma, afinal, as pessoas a enxergam como mulher e não priorizam sua deficiência, o que muitas vezes é diferente ao encontrar alguém pessoalmente. "No chat eu sou uma pessoa com gostos e características diferentes. Nos encontros presenciais,  a primeira impressão é que sou uma pessoa com deficiência, e isso acaba apagando a minha verdadeira personalidade”, comenta.

Com o namorado Victor, foi diferente: "Ele sempre foi muito gentil. Nunca me resumiu a minha deficiência, pelo contrário, sempre fez questão de ressaltar todas as minhas outras qualidades e características". Eles estão juntos há quase 1 ano. 

Ela lembra do pedido de namoro com carinho. "Ele fez enquanto assistíamos a série 'Heartstopper', no mesmo episódio em que o casal se beija pela primeira vez. Ele pausou a série, foi ao banheiro e quando retornou disse que ia fazer isso de outra forma, mas que havia sentido que era o momento certo". 

Costumo dizer que nosso relacionamento é político, então somos uma referência para que pessoas com ou sem deficiência vejam que nós PCDs conseguimos e podemos amar. As pessoas estão acostumadas com um relacionamento típico, então o preconceito fala mais alto. 

De lá pra cá, o casal dividiu conquistas, criou novas histórias e segue cativando os mais de 129 mil seguidores que Marina tem apenas no Instagram. Mas nem sempre foi assim. "Eu e o Victor já vivenciamos casos de alguém nos parar na rua e pedir para orar por mim para que eu 'melhorasse', sendo que eu não estava doente. E até mesmo, as pessoas ouvindo eu chamá-lo de 'momô' e questionarem se era vovô ou se não estava muito novo para ser meu pai", relembra Marina. 

Aprendendo a amar

Em seus conteúdos, Marina fala sobre maquiagem, acessibilidade e suas vivências sendo uma pessoa com deficiência que nunca deixou de viver ou de realizar sonhos. "Eu busco abordar através dos meus vídeos assuntos sérios de uma forma leve", explica. 

Ao questionarmos sobre um lugar favorito da influenciadora e de seu namorado, eles revelaram que grande parte do tempo ficam em casa, pois nem todos os lugares são acessíveis e com isso dificulta grandes passeios, pois precisam de carro adaptado e de inúmeros planejamentos para não colocar a segurança dela  em risco. 

"Estou aprendendo a ser mais carinhosa e romântica com ele", diz Marina
"Estou aprendendo a ser mais carinhosa e romântica com ele", diz Marina
Foto: Reprodução Redes Sociais / Instagram / @marinavale

"Eu cuido dele e ele cuida de mim, acredito que isso é o principal. Cada um dá seu máximo dentro do que pode, ele me ajuda com coisas como pentear o cabelo, abrir alguma maquiagem, até mesmo em uma troca de roupa. E eu costumo ser o lado mais racional na hora de ouvir, decidir algo", diz a influenciadora. "Estou aprendendo a ser mais carinhosa e romântica com ele, porque é um comportamento dele e estou aprendendo. Não sou de demonstrar afeto, mas com ele faço isso com muita facilidade".

Para o futuro, o casal almeja conquistar muitos sonhos. Marina quer se mudar para São Paulo e Victor tem refletido sobre o  assunto. Vale ressaltar, que a influenciadora afirma que com o relacionamento, ela aprendeu que pode amar e cuidar de alguém, pois o fato dela ser uma pessoa com deficiência não lhe impede de ter um relacionamento e cuidar de outras pessoas. "Tenho aprendido muito com o Victor e com a forma dele lidar com a vida, de me ensinar sobre o amor e de me defender das coisas ou situações. Cuido dele e ele costuma dizer que foi comigo que ele aprendeu a definição de amar e ser cuidado, e isso é muito bom, pois mostramos para as pessoas que nós pessoas com deficiência pode sim cuidar, porque  para quem nos ama, não importa nossas condições físicas e sim quem somos", finaliza.

Afinal de contas, não seria sobre isso o amor?

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade