PUBLICIDADE

Pfizer pode ser liberada para crianças de 5 a 11 ainda em outubro nos EUA

A expectativa é que a Pfizer/BioNTech apresente seus estudos ao FDA até o fim de setembro para o imunizante ser liberado à faixa etária já no próximo mês.

13 set 2021 14h50
ver comentários
Publicidade

A corrida da vacinação infantil contra a covid-19 continua a todo vapor. Depois do Chile liberar o uso da CoronaVac em crianças acima de seis anos e iniciarem-se os estudos do imunizante em bebês a partir de seis meses, Scott Gottlieb, médico e ex-comissário da Food and Drug Administration (FDA), afirmou que há previsão da Pfizer ser liberada para crianças de cinco a 11 anos até o fim de outubro, nos Estados Unidos.

Vacina-contra-covid19
Vacina-contra-covid19
Foto: Sylfide/Getty Images / Bebe.com

Durante entrevista ao 'Face The Nation', no dia 13 de setembro, o médico, que integra o conselho de diretores da Pfizer/BioNTech, informou que a farmacêutica está trabalhando para que os dados sobre o imunizante sejam coletados até o fim de setembro, sendo integrados pela FDA em outubro e, consequentemente, a vacina seja liberada para faixa etária ainda no mesmo mês.

Por que uso emergencial da vacina em crianças é importante

Ainda de acordo com o médico, a liberação da vacina é importante para que ocorra a redução dos casos infantis causados pela variante Delta. Além de que, mais para frente, a tendência é que as escolas passem a requerir o imunizante contra covid-19 como uma das vacinas obrigatórias da carteirinha infantil.

"Acredito que logo mais veremos distritos locais escolares e governadores fazendo esta recomendação e, eventualmente, a The Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP) dirá se isso deverá ser incluído no calendário de imunização infantil. O meu palpite é que eles estão esperando mais vacinas serem licenciadas para fazer esse tipo de recomendação", comentou Scott.

Já sobre as dúvidas em relação ao imunizante no público infantil, o especialista orienta os pais a sempre consultarem o pediatra para entender qual é a demanda da criança. Por exemplo, se ela já foi infectada pelo coronavírus, apenas uma dose da vacina pode ser o suficiente neste caso. Mas, mais uma vez, vale reforçar que apenas o pediatra é quem poderá decidir isso em conjunto com a família.

Mais informações sobre o assunto estão previstas para serem liberadas a partir do dia 17 de setembro, quando o comitê do FDA se reunirá e analisará o pedido feito pela Pfizer. Há também a previsão de que, após a aprovação do imunizante da BioNTech, a próxima a pedir o uso no público infantil é a Janssen, devido aos resultados obtidos em estudos e passíveis de apresentação para a instituição reguladora dos Estados Unidos.

Bebe.com
Publicidade
Publicidade