PUBLICIDADE

Jardins com plantas do deserto criam paisagismo diferenciado

Compartilhar
Exibir comentários

O deserto sempre despertou a fantasia e a imaginação dos homens. Exótico e misterioso, esse tipo de paisagem costuma ser associado a países distantes, mas é possível trazer um pouco desse clima para dentro da sua casa. Basta saber escolher as espécies corretas para montar o que os paisagistas chamam de jardim desértico.

Grande símbolo da vegetação do deserto, os cactos são as mais famosas entre as plantas que sobrevivem em ambientes áridos e podem ser cultivados em casa
Grande símbolo da vegetação do deserto, os cactos são as mais famosas entre as plantas que sobrevivem em ambientes áridos e podem ser cultivados em casa
Foto: Divulgação: Daniela Sedo

Esse tipo de arranjo une o útil ao agradável: por um lado cria um efeito estético diferenciado e intrigante; por outro, é muito mais fácil de cuidar, porque as plantas xerófitas, típicas do deserto e de regiões áridas, consomem pouca água e por isso não precisam ser regadas o tempo todo.

Segundo a paisagista Marizeth Estrela, de São Paulo, fazem parte desse grupo espécies das famílias das Cactáceas, da Euforbiáceas, as Crassuláceas e das Agaveáceas. As xerófitas mais famosas são os vários tipos de cactos, mas existem outras espécies que sobrevivem bem em ambientes áridos, como o agave e o kalanchoe.

O primeiro passo para montar um belo jardim desértico é escolher boas espécies. A paisagista Daniela Sedo, de São Paulo, indica cactos em geral, agave e yuccas. “A espada cilíndrica também leva pouca água”, acrescenta a paisagista Marizeth Estrela.

Selecionadas as espécies, é hora de preparar o local onde elas serão colocadas. Daniela Sedo explica que essas plantas devem ficar em um solo muito arenoso e, por suportar temperaturas altas, necessitam de muito sol e pouca chuva.

Segundo Daniela esse tipo de jardim não precisa de muitos acessórios, mas pode ser montado com pedriscos brancos e vasos. “Um aquário que não está sendo usado pode se transformar em um belo jardim desértico”, sugere. Já Marizeth indica cristais ou uma caixa de aço inox como possibilidades. “Bálsamo, aquela planta usada antigamente para fazer remédios e cosméticos, é uma alternativa interessante”, recomenda Daniela. “Gosto muito das espécies nas quais brotam flores bem coloridas, geralmente no verão”, completa a paisagista.

Cuidados

Daniela diz que o solo do jardim desértico deve ter muita areia, para que fique bem seco. Outra recomendação é que o local escolhido receba bastante sol. Quem tem um vaso de cactos em local de sombra deve colocá-lo sob o sol direto por uns 15 dias.  “Não basta claridade”, adverte. E o mais importante: as plantas não podem ser encharcadas de maneira alguma. As folhas jamais devem receber água diretamente, pois água em excesso pode fazê-las apodrecer. O ideal é apenas tirar as folhas secas a cada três semanas. A adubação pode ser trocada a cada seis meses.

Por fim, uma última recomendação para quem pretende fazer um jardim desértico dentro de um aquário: é preciso furar o fundo do recipiente para deixar a água escorrer. Coloque terra em uma metade e areia na outra. “Um aquário de 50 centímetros de comprimento por uns 40 centímetros de largura deve ser regado com meio litro de água uma vez por mês”, explica Daniela.

Fonte: PrimaPagina
Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade