PUBLICIDADE

Carnaval será marcado por ondas de calor e pancadas de chuva; veja previsão

Segundo especialistas, há possibilidade de novas ondas de calor na Grande São Paulo, Rio de Janeiro e na Grande Belo Horizonte

1 fev 2024 - 09h51
(atualizado às 09h55)
Compartilhar
Exibir comentários
Decoração carnavalesca do mercado de artesanato de Olinda após um dia chuvoso.
Decoração carnavalesca do mercado de artesanato de Olinda após um dia chuvoso.
Foto: Foto: istock

Calor acima da média e carnaval com chuva estão previstos para marcar o mês de fevereiro. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há uma tendência de chuva abaixo da média em parte da Região Norte, nas áreas da Região Sul e nos estados de Mato Grosso e Goiás. Entretanto, nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste do país, além de áreas do Pará, Amapá, Tocantins e Paraná, a previsão indica chuva acima da média.

Meteorologistas do Instituto preveem instabilidade durante o carnaval, com chuvas em grande parte do País. Destaca-se a possibilidade de pancadas de chuva causarem transtornos nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Qual é a causa do fenômeno El Niño?

O El Niño é um fenômeno natural do Planeta Terra que acontece quando os ventos que sopram no Equador, de leste a oeste no planeta, são menos intensos do que de costume. Assim, a água do oceano Pacífico na altura da linha do Equador tende a ficar mais quente, o que também aumenta as temperaturas gerais das águas oceânicas.

O calor das águas mais quentes faz com que a evaporação da água seja maior e há formação de nuvens de chuva intensa. Além disso, outros locais ficam mais secos, já que o El Niño desregula a distribuição de correntes de vento que ajudam a distribuir as chuvas. Estima-se que, durante os anos em que o El Niño acontece, a temperatura da superfície da Terra fique pelo menos 0,1º C acima do normal.

Esse fenômeno é o oposto do comum, já que, nos anos em que o El Niño não acontece, ventos transportam águas do oceano Pacífico para a direção oeste. Esses ventos tornam o ar acima dessas águas mais leve e úmido e, quando ele atinge grandes altitudes, se condensa e forma nuvens e gotículas de águas que levam chuva para a Oceania.

Além disso, esse movimento de ventos eleva as águas mais frias do oceano Pacífico Equatorial para a superfície. Essa água, rica em nutrientes, atrai peixes para a costa do Peru, sendo importante para a cultura de pesca local.

Com o El Niño, a água fica mais quente e a evaporação faz com que as nuvens de chuvas surjam mais próximas da América do Sul. Esse desequilíbrio é o responsável por deixar o clima no Norte e Nordeste mais seco e no Sul e no Sudeste, mais úmidos.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade