4 eventos ao vivo

Ford aposta em SUV chinês na briga com Tiguan e Compass

Maior que o líder do segmento, Ford Territory tem cara, coração e alma da China. Veja o que esperar da versão Titanium 1.5 EcoBoost

7 ago 2020
15h30
atualizado em 10/8/2020 às 16h30
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Design agressivo da dianteira é um dos pontos marcantes do Ford Territory.
Design agressivo da dianteira é um dos pontos marcantes do Ford Territory.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Rodamos cerca de 1.500 km com o Ford Territory em sua versão topo de linha, a Titanium. Com o carro todo equipado, foi possível avaliá-lo em várias situações, como as ruas (boas e ruins) de várias cidades e diferentes tipos de estrada, com pista dupla, asfalto bom, pista simples, asfalto ruim, terra batida e até estradinha de pedra. Havia grande expectativa de nossa parte em relação ao Territory, pois ele chega para ser uma opção aos dois líderes do segmento de SUVs médios, o Jeep Compass e o Volkswagen Tiguan. 

O Territory Titanium custa R$ 187.900 e se encaixa na novíssima onda de carros produzidos na China. O sucesso comercial da família Tiggo, da Caoa Chery, e as boas impressões deixadas pelo JAC T60 foram suficientes para mostrar que a indústria chinesa faz carros com padrão de qualidade mundial. Mas nem todos os carros que vêm da China agradam o consumidor brasileiro -- daí que muitos vão medir o Ford Territory com uma régua muito mais crítica do que fariam se o carro fosse produzido nos EUA. Assim também o fizemos, para saber se ele é um chinês “do bem” ou “do mal”.

Territory pegou bastante poeira durante nossa avaliação, mas manteve a classe.
Territory pegou bastante poeira durante nossa avaliação, mas manteve a classe.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O Ford Territory não parece ser um carro tão grande visto por fora. Mas basta entrar nele para que o tamanho seja notado. Inicialmente, no aspecto positivo, por conta do espaço na frente e atrás. Porém, ele também surpreende por ser um carro difícil para estacionar em algumas vagas, devido à sua largura. São 9,7 cm a mais do que o Tiguan e 11,7 cm a mais do que o Compass. Contando os espelhos, o Territory tem 2,179 m. O fato positivo é que o carro conta com câmera 360o e isso facilita muito a tarefa do motorista. Apesar do porte do carro, o porta-malas é pequeno: apenas 348 litros até a tampa porta-pacotes.

A posição de dirigir é muito boa, especialmente em função do banco com ajuste elétrico em 10 posições. O banco do passageiro tem ajuste manual em quatro posições. Uma discreta herança da dificuldade dos carros chineses com a ergonomia é revelada no ajuste de profundidade do volante, pois a coluna de direção parece ser muito curta, com o volante muito próximo ao painel. Boas impressões causam a qualidade do volante multifuncional de couro e o acabamento interno caprichado, de couro bege, com partes em black piano e muitas áreas com toque macio.

Nas estradas de terra batida, Ford Territory acabou surpreendendo.
Nas estradas de terra batida, Ford Territory acabou surpreendendo.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Antes de dar partida no motor, é preciso se familiarizar com a nova central multimídia Synch Touch 10,1”. Ela praticamente elimina os botões e permite que a tela tenha 75% de sua área ocupada pelo app que está sendo utilizado. Alguns comandos ficam em botões no console, junto com um botão giratório que pode servir para regular o volume do áudio e também para outras funcionalidades. É fácil se perder. E, apesar de o Sync Touch ser bonito e interessante, o Sync 3 da picape Ford Ranger é bem mais intuitivo. Porém, o Territory também permite conectar o Apple CarPlay sem fio (o Android Auto é só com cabo) e oferece uma entrada USB traseira e três entradas frontais (uma para transferência de arquivo e duas para recarga). 

O botão de partida fica do lado esquerdo. Uma vez ligado o motor, é hora de conhecer o Ford Territory em movimento. O motor é o 1.5 Turbo EcoBoost GTDI (injeção direta de gasolina) com 150 cv de potência a 5.300 rpm e 224 Nm de torque de 1.500 a 4.000 rpm. Para a Ford começar a atuar no nicho de SUVs médios está de bom tamanho, mas para derrubar a concorrência não dá. Com 1.632 kg, o Territory tem uma relação peso/potência de 10,9 kg/cv. É um pouco pior do que o do Tiguan 1.4 TSI (10,7 kg/cv), mas bem inferior aos 9,3 kg/cv do Compass 2.0 flex. O Territory acelera de 0-100 km/h em 11,8 segundos.

Em estradas de pista simples, SUV chinês sente falta de motor mais potente.
Em estradas de pista simples, SUV chinês sente falta de motor mais potente.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O consumidor da Ford certamente não vai comprar um Territory para apostar corrida. Mas, se o motor permite um rodar tranquilo com o carro, ele também cobra um preço alto no consumo. Segundo a Ford, ele faz 9,2 km/l de gasolina na cidade e 10,2 na estrada. O computador de bordo marcou uma média de 8,0 km/l durante nossa utilização. Na melhor situação (rodovia Castello Branco, SP-280) sua melhor marca foi 9,4 km/l. Viagem em velocidade moderada, quase sempre a 120 km/h, com algumas aceleradas mais fortes em situações que exigiam ultrapassagem. Em velocidade constante, a 100 km/h, o motor gira a 1.700 rpm, subindo para 2.300 rpm a 120 km/h. Na auto-estrada, aliás, o comportamento do Ford Territory é excelente, pois o carro é confortável em quase todos os aspectos.

Na movimentada rodovia de pista simples que corta o norte do Paraná (BR-369), o Ford Territory sofreu um pouco. Foi nesse trecho que não apenas o motor, mas principalmente o câmbio CVT de oito marchas, mostrou seus limites. O volante não tem aletas para trocas manuais (nem fizeram falta). Na alavanca, as trocas manuais são fáceis e rápidas, mas o ganho de potência e torque é muito pequeno em sucessivas trocas. O câmbio está claramente com o compromisso de não deixar o consumo subir muito. Mesmo no modo Sport, quando o motor gira a 3.000 rpm a 120 km/h, as respostas ao “kick down” no pedal do acelerador são demoradas. Numa estrada movimentada, com muitos caminhões, muitas subidas e muitas curvas, é bom respeitar a delicada fronteira de desempenho do Ford Territory, até porque sua velocidade máxima é de 180 km/h (limitada eletronicamente).

Quadro de instrumentos digital e volante de couro com ótima empunhadura.
Quadro de instrumentos digital e volante de couro com ótima empunhadura.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

As suspensões são boas, MacPherson na dianteira e multilink na traseira. Em curvas de 90 graus a carroceria rola um pouco a partir de 90 km/h se o raio for pequeno e a partir de uns 110 km/h se for de raio longo. O carro tem claro compromisso com o conforto. Por isso, ele acabou surpreendendo positivamente quando enfrentou algumas estradas de terra. Mesmo com pneus de perfil médio (235/50 R18), ele se mostrou estável e confortável. Quando chegou num trecho com muitas pedras, entretanto, ficou evidente que o Territory segue o mesmo paradigma da maioria dos SUVs de seu segmento: é um utilitário esportivo para rodar em pisos bons. O Tiguan, da Volkswagen, também é assim. Nesse ponto, o único que se destaca é o Jeep Compass, mais versátil para essas situações.

O alto nível de segurança do Territory está alinhado com o que a Ford vem fazendo com a Ranger. O carro tem seis airbags e conta com alguns itens de segurança importantes, como piloto automático adaptativo, alerta de colisão, frenagem de emergência, monitoramento de ponto cego, aviso de mudança de faixa e controle eletrônico de estabilidade e tração. Ele também vem com assistente de partida em rampas e tem uma câmera traseira fabulosa para as manobras. O teto solar panorâmico também merece elogios.

Na cidade ou na fazenda, novo SUV da Ford transmite status a quem o conduz.
Na cidade ou na fazenda, novo SUV da Ford transmite status a quem o conduz.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

É curioso que a Ford -- um dos ícones do capitalismo americano -- tenha escolhido a China, rival econômica e política dos EUA, para dar cara, coração e alma ao seu novo SUV médio. O Ford Territory é um projeto feito em joint-venture com a montadora chinesa JMC (Jiangling Motors Corporation), que o produz desde 2018 em Nanchang. Ele é irmão do Yusheng S330 chinês (prática comum na indústria). Qualquer desmerecimento ao fato de a Ford trazer um modelo chinês para o Brasil pode entrar na lista de preconceitos contra o gigante asiático. Pena que a Ford não trouxe a versão híbrida leve, que tem uma bateria de 48V e torna o Territory mais eficiente. Talvez tenha ficado como uma carta na manga para o futuro. Se na China funciona, por que não no Brasil?

Parada para abastecimento: consumo não é o forte do Territory.
Parada para abastecimento: consumo não é o forte do Territory.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Os números

  • Preço: R$ 187.900
  • Motor: 1.5 turbo
  • Potência: 150 cv a 5.300 rpm
  • Torque: 224 Nm de 1.500 a 4.000 rpm
  • Câmbio: 8 marchas CVT
  • Tração: 4x2
  • Comprimento: 4,580 m
  • Largura: 1,936 m
  • Altura: 1,674 m
  • Entre-eixos: 2,716 m
  • Vão livre: 215 mm
  • Peso: 1.632 kg
  • Pneus: 235/50 R18
  • Porta-malas: 348 litros (ou 420 litros até o limite do teto, sem o porta pacotes, 693 litros com os dois bancos rebatidos até a altura do banco e 1.120 litros com os dois bancos rebatidos até a altura do teto)
  • Carga útil: 388 kg
  • Tanque: 52 litros
  • Aceleração 0-100 km/h: 11s8
  • Velocidade máxima: 180 km/h
  • Consumo cidade: 9,2 km/l
  • Consumo estrada: 10,2
  • Emissão de CO2: n/d
Uma pausa para foto na divisão do Paraná com São Paulo, após o Rio Paranapanema.
Uma pausa para foto na divisão do Paraná com São Paulo, após o Rio Paranapanema.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Equipamentos

  • Rodas de liga leve de 18"
  • Estepe de uso temporário 4x18"
  • Teto solar panorâmico elétrico
  • Teto pintado de preto
  • Luzes de condução diurna em LED
  • Lanternas traseiras em LED
  • Faróis em LED
  • Faróis com temporizador (follow me home)
  • Faróis de neblina dianteiros
  • Luzes de aproximação nos retrovisores
  • Retrovisores externos na cor do veículo e luzes indicadoras de direção
  • Retrovisores externos com ajuste elétrico
  • Retrovisores externos rebatíveis eletronicamente
  • Antena tipo barbatana de tubarão
  • Maçanetas cromadas
  • Bancos dianteiros com aquecimento e resfriamento controlável
  • Ar-condicionado automático digital com saída para os bancos traseiros
  • Bancos parcialmente em couro e revestimento premium na coloração bege
  • Luz ambiente configurável em 7 opções de cores e intensidade
  • Console central com porta-objetos e apoio de braço
  • Bancos traseiros com apoio de braço central e porta-copos integrado
  • Banco traseiro bipartido e rebatível
  • Fechamento global de portas, vidros e teto solar
  • Banco do motorista com ajuste elétrico de 10 posições
  • Banco do passageiro com ajuste manual de 4 posições
  • Bolso porta-revistas atrás do banco do motorista e passageiro
  • Vidros elétricos com abertura e fechamento com um toque para cima/baixo
  • (dianteiros / traseiros)
  • Para-sol com espelho de cortesia e luzes (motorista / passageiro)
  • Volante de couro
  • Luzes traseiras de leitura
  • Ajuste manual do volante em 4 posições
  • Alças de apoio de teto (traseiras e frontal)
  • Sistema de alerta de colisão e frenagem autônoma de emergência (AEB)
  • Sistema de monitoramento de ponto cego (BLIS)
  • Sistema de aviso de mudança de faixa
  • Assistente de partida em rampas (HLA)
  • Controle eletrônico de estabilidade (ESC) e tração (TCS)
  • Freios a disco nas 4 rodas, com ABS e EBD
  • Sensor de monitoramento de pressão dos pneus
  • Cintos de segurança dianteiros com ajuste de altura
  • Cintos de segurança traseiros laterais e central de 3 pontos
  • Aviso de utilização do cinto de segurança (motorista / passageiro)
  • 6 Airbags (frontais, laterais e cortina)
  • Isofix 

Veja aqui o posicionamento de mercado do Territory

  • Espelho retrovisor interno eletrocrômico
  • Luz elevada de freio (Brake-light)
  • Câmera 360º com visualização panorâmica
  • Painel de Instrumentos digital com com tela HD de 10" configurável
  • Piloto automático adaptativo com Stop and Go
  • Sistema de estacionamento automático
  • Carregador celular sem fio
  • Acendimento automático dos faróis
  • Câmera de ré
  • Sensor de estacionamento traseiro
  • Sensor de estacionamento dianteiro
  • Sensor de chuva
  • Chave com sensor de presença: acesso inteligente e partida sem chave Ford Power
  • Computador de bordo
  • Tomada 12V
  • Central Multimídia Sync Touch
  • Tela central multifuncional sensível ao toque HD de 10.1"
  • Apple CarPlay sem fio
  • 3 entradas USB frontais (uma para transferência de arquivo + recarga e duas para
  • recarga)
Nas estradas de pista dupla, como a Castello Branco, Territory é um carro bem agradável.
Nas estradas de pista dupla, como a Castello Branco, Territory é um carro bem agradável.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro
  • Entrada USB para carregamento traseira (recarga)
  • Conectividade por cabo com Android Auto
  • Comandos de áudio e voz no volante
  • Bluetooth
  • 8 alto-falantes
  • Conectividade via aplicativo Ford Pass Connect
  • Partida remota com climatizador
  • Travamento e destravamento remoto
  • Alerta de acionamento do alarme no celular (Guard Mode)
  • Sistema de localização
  • Status do veículo (autonomia, pressão de pneus, nível do combustível)
  • Alertas de funcionamento do veículo
Ford Ranger Storm, uma picape para quem curte off-road

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade