PUBLICIDADE

Anti-Toro da Chevrolet pode ser matadora nos motores

Análise: inédita picape da Chevrolet, baseada no SUV Tracker, poderá dar um banho de motor na Fiat Toro

12 mai 2021 12h15
ver comentários
Publicidade
Belíssima renderização da inédita picape Chevrolet feita pelo designer Kleber Silva.
Belíssima renderização da inédita picape Chevrolet feita pelo designer Kleber Silva.
Foto: Kleber Silva / KDesign

A Chevrolet cansou de perder para a Fiat no mercado de picapes e decidiu mostrar sua força. Depois que a GM anunciou a fabricação de uma inédita picape em São Caetano do Sul (SP), para substituir a defasada Chevrolet Montana, começam as apostas sobre quais serão as armas de sua anti-Toro. E elas serão muitas, a começar pelos motores.

Uma coisa é praticamente certa: a inédita picape não vai se chamar Nova Montana, como a Nova Strada. Isso porque a picape não ocupará o mesmo espaço da picapinha atual da Chevrolet, que compete com a Fiat Strada e a Volkswagen Saveiro. Ela vai brigar num segmento superior e mais lucrativo, que atualmente é ocupado somente pela Fiat Toro e pela Renault Oroch. Por isso, a GM vai adotar um nome novo e moderno, de preferência com apenas duas sílabas, como Onix, Cruze e Toro.

A surpresa da inédita picape anti-Toro da Chevrolet poder vir nos motores. E a GM está disposta a mostrar para a Stellantis que agora a disputa mudou de patamar. Uma coisa é competir com a Renault, que tem uma gama de motores restrita. Outra é brigar com a Chevrolet, que tem um exército de motores prontos a equipar sua inédita picape compacta, que também será construída com uma carroceria monobloco (assim, terá dirigibilidade de um SUV moderno).

Picape Chevrolet será baseada no SUV Tracker, como mostra projeção de Kleber Silva.
Picape Chevrolet será baseada no SUV Tracker, como mostra projeção de Kleber Silva.
Foto: Kleber Silva / KDesign

Hoje a Fiat Toro tem três motores: 1.8 aspirado de 139 cv e 190 Nm, 1.3 turbo de 185 cv e 270 Nm; 2.0 turbo diesel de 170 cv e 350 Nm. A inédita picape da Chevrolet não terá motores aspirados. Uma coisa é certa: ela contará com o motor 1.2 turbo de 133 cv e 210 Nm na versão de entrada para combater o 1.8 aspirado da Toro. Vai oferecer quase a mesma potência, maior torque (fundamental numa picape) e menor consumo.

A picape anti-Toro da Chevrolet tem ainda três opções de motor para “brincar”. Uma opção interessante é o motor 1.4 turbo do Cruze, que tem 153 cv e 240 Nm. Este motor tanto pode ser usado para uma versão intermediária, longe das opções da Fiat Toro, quanto pode ser usado já na versão de entrada, deixando a Fiat desistir naturalmente de seu velho 1.8 aspirado, que deve ter vendas baixíssimas na linha Toro.

Para enfrentar o novo motor 1.3 turbo da Toro, a inédita picape da Chevrolet pode contar com o ótimo 1.5 turbo de 172 cv e 272 Nm do Equinox. Ele é um pouco menos potente do que o motor da Fiat e tem um pouco mais de torque. São diferenças que podem ser compensadas em ajustes eletrônicos, na configuração da transmissão e também no peso do veículo.

É possível que a GM deixe para a Fiat o nicho do diesel, que vai cair com a chegada do novo motor turbo flex da Stellantis. Porém, a GM pode investir numa versão esportiva de sua nova picape -- e, com isso, quem sabe, inaugurar um novo e lucrativo nicho no Brasil. Para isso, bastaria equipar sua inédita picape compacta com o motor 2.0 turbo do Equinox, que despeja 262 cv de potência nas rodas e entrega 363 Nm de torque. Seria uma picape matadora e que atrairia um novo tipo de consumidor para a Chevrolet. Poderia até mesmo ter tração 4x4, se a GM quiser ousar.

Quanto à carroceria, o Chevrolet Tracker (base da futura picape) e o Jeep Renegade (base da Fiat Toro) têm a mesma distância entre-eixos (2,570 m). Portanto, assim como a Toro tem 2,990 m de entre-eixos, a anti-Toro da Chevrolet também terá uma medida similar. Mas o Tracker é mais comprido do que o Renegade, por isso a anti-Toro da Chevrolet poderá, se quiser, chegar aos 5 m de comprimento. O Tracker tem 4,270 m; a Toro tem 4,950 m. No mínimo, a picape da Chevrolet terá os mesmos 4,950 m.

Para comparar também largura/altura, o Tracker tem 1,791/1,626 m e a Toro tem 1,845/1,730 m. O design é que vai definir se a picape baseada no SUV Tracker manterá essas medidas ou se vai crescer um pouco. A caçamba da Toro tem 937 litros e sua carga útil é de 670 kg.

Como se vê, a briga neste segmento de picapes está apenas começando. Durante alguns anos, a Renault Oroch e a Fiat Toro ficaram sozinhas. Agora, além da inédita picape da Chevrolet, em breve o mercado ganhará também a Ford Maverick (importada do México) e um inédito modelo da Volkswagen (projeto Tarok). Sem contar que a Hyundai começa a fabricar nos Estados Unidos a picape Santa Cruz, que poderia chegar ao Brasil pela Caoa Montadora. A picape anti-Toro da Chevrolet deve estrear em 2022.

Guia do Carro
Publicidade
Publicidade