0

Trajes de Margaret Thatcher ganham destaque em leilão da Christie's

  • separator

Margaret Thatcher passou a ser chamada de "Dama de Ferro" por conta de suas ferrenhas medidas políticas e também por sua imagem altiva e conservadora, fato que pode ser comprovado através dos sete trajes da ex-primeira-ministra britânica que a casa Christie''s leiloará nesta segunda-feira.

Além das peças de roupa da "Dama de Ferro", a prestigiada casa de leilões colocará à venda 167 lotes dentro do espírito britânico, que inclui fotos dos Beatles, um cartaz produzido pelo governo no início da Segunda Guerra Mundial com o lema "Keep calm and carry on" e quadros que trazem a cidade de Londres como tema central.

As roupas de Margaret Thatcher, a maioria confeccionadas pelas grifes Donegal, Delbury e Susan Smallos, revelam toda postura conservadora da ex-primeira-ministra britânica, que possuía uma espécie de "uniforme": terno e saia, corte abaixo do joelho, pescoço ajustado e, quase sempre, um lenço como complemento.

Política e moda mantêm uma longa e duradoura relação, a qual Margaret Thatcher beirava à perfeição. Isso porque, ao conviver em um mundo tradicionalmente dominado por homens, a política inglesa elaborava seu vestuário "como uma couraça, com poucos espaços para feminilidade".

Em entrevista à Agência Efe, o conservador do Museu do Traje de Madri, Antonio Zuñiga, define as roupas de Margaret como um claro exemplo de "power dressing", um termo que se refere à vestimenta do mundo dos negócios e a política dos anos 70 e 80, quando as mulheres começaram a alcançar postos de responsabilidade e, por isso, passaram a incorporar o tradicional terno dos homens em seus armários.

"O objetivo das roupas usadas por Margaret Thatcher era se valorizar, já que a sociedade não estava acostumada a ver uma mulher como chefe de Estado", declarou o especialista em moda e história.

No entanto, os trajes que serão leiloados amanhã pertencem a um período anterior ao posto de primeira-ministra, época que Margaret ainda ostentava o cargo de secretária de Educação e se permitia usar cores vivas.

Neste aspecto, após ser escolhida como líder do Partido Conservador em 1975, o verde, o amarelo, o roxo, o azul céu e o branco acabaram dando passagem ao monopólio do azul escuro. Aliás, nesta ocasião, a "Dama de Ferro" usava um dos trajes da casa Mansfield que se encontra neste atual leilão.

Os trajes, que estão avaliados entre US$ 1,6 mil e US$ 2,4 mil, são confeccionados em "tweed", um tecido tipicamente inglês, assim como os modelos.

No filme "A Dama de Ferro", estrelado por Meryl Streep, o foco é a ferrenha personalidade da governante britânica, ausente há anos de sua vida pública por questões de saúde. Já as peças do leilão, por outro lado, busca recordar a imagem de uma mulher que decidiu se vestir com uma "armadura feminina" para alcançar seu sonho e escrever uma página da história. EFE

csr/fk

(foto)(vídeo)

Veja também:

Barroso determina que Senado instaure a 'CPI da Covid'
EFE   
publicidade