4 eventos ao vivo

Toyota vai investir US$ 500 milhões no Uber e apoiar carro autônomo

Maior montadora do mundo, japonesa 'salva' divisão de veículos sem motorista do Uber; empresa de carona paga estava sendo pressionada por investidores para se livrar de divisão deficitária

27 ago 2018
18h51
  • separator
  • comentários

A montadora japonesa Toyota vai investir US$ 500 milhões na empresa de aplicativo por transporte Uber, publicou nesta segunda-feira, 27, o jornal americano Wall Street Journal. Segundo a publicação, o aporte será feito especialmente para apoiar a divisão de carros autônomos da americana, disseram fontes familiarizadas com o assunto. A expectativa é que, com os recursos, Uber e Toyota consigam se aproximar em desenvolvimento tecnológico da Waymo, divisão da dona do Google que é considerada por especialistas a atual líder do mercado.

O investimento avalia o Uber em US$ 72 bilhões em valor de mercado, além de estreitar os laços entre a maior montadora do mundo e a empresa de aplicativo por transportes. É também um sinal como Dara Khosrowshahi, presidente executivo do Uber, pretende conduzir o programa de carro autônomo da empresa, por meio de parcerias estratégicas. É uma visão diferente do que idealizava Travis Kalanick, seu antecessor, que imaginava que o Uber precisava ser dono de uma tecnologia própria de carros autônomos.

As duas empresas se negaram a comentar o assunto.

Segundo as fontes, o Uber vai combinar seu sistema de direção autônoma com o Guardian, plataforma da Toyota que já oferece alguma segurança, mas não permite que um veículo rode sem um motorista ao volante. Com a parceria, a tecnologia das duas empresas será desenvolvida em veículos da Toyota e utilizará a rede de captação de passageiros do Uber.

O aporte também dá nova vida ao programa de carros autônomos do Uber, que estava paralisado desde março, quando um acidente fatal em Tempe, no Arizona, matou uma pedestre. Desde então, a empresa retirou todos os seus veículos sem motorista das estradas.

Nas últimas semanas, o Uber vinha sendo pressionado por investidores para se desfazer da divisão, considerada por eles como deficitária - em resultados divulgados recentemente, a empresa perde entre US$ 100 milhões e US$ 200 milhões com o desenvolvimento de veículos autônomos por trimestre. O projeto, no entanto, é vital para o futuro da empresa, quando automóveis sem motorista poderão substituir os condutores, alterando drasticamente o modelo de negócios do Uber.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade