PUBLICIDADE

Startups estão mudando o cenário da energia solar no Brasil

Com a conta de energia elétrica mais cara, empresa cria soluções que ajudam a reduzir esse gasto.

26 abr 2022 04h00
ver comentários
Publicidade
Foto: Adobe Stock

Há meses, os brasileiros têm sofrido com a alta da conta de luz. E uma das soluções para reduzir os efeitos no bolso está na instalação dos sistemas de energia solar, por exemplo. No Brasil, há algumas barreiras que impedem a sua expansão, como a falta de informação sobre o mercado e o desconhecimento dos benefícios deste tipo de energia limpa.

Os aumentos sucessivos, que devem permanecer até abril de 2022 devido à escassez hídrica, abriram uma oportunidade para o desenvolvimento das energytechs, empresas que utilizam tecnologia de ponta para proporcionar ao mercado novas soluções permanentes de fonte energética em residências e também em empresas de diversos tamanhos e segmentos. 

Geração compartilhada, financiamento de painéis solares e a entrada no mercado livre de energia são alguns dos modelos que as energytechs promovem para reduzir os gastos financeiros e também o impacto ambiental.

É neste contexto que nasce a Holu, energytech com instalação de placas fotovoltaicas, com o propósito de transformar a relação dos brasileiros de simples consumidores para se tornarem seus próprios produtores de energia solar. “Queremos tornar este tipo de solução mais acessível, facilitando a forma de pagamento e fornecendo equipamento de última geração com uma economia de quase 100% na conta de luz e que ajuda todo o planeta”, afirma Rodrigo Freire, CEO da Holu.

Segundo dados da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), em março, o Brasil ultrapassou a marca histórica de 14 gigawatts (GW) de potência operacional de fonte fotovoltaica, somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia elétrica em telhados, fachadas e pequenos terrenos, conhecidos como geração distribuída. 

Com isso, a fonte solar superou a potência instalada da usina hidrelétrica de Itaipu. O setor já trouxe ao País mais de R$ 74 bilhões em novos investimentos e mais de 420 mil empregos, além de ter evitado a produção de toneladas de CO2 na geração de eletricidade por outras fontes.

A Holu trouxe ao mercado tecnologia de ponta e a expertise norueguesa para criação de projetos individualizados com valores que variam de acordo com o gasto mensal da conta de luz residencial ou de empresas. As soluções oferecidas pela energytech trazem melhor custo benefício e proporcionam a independência energética. 

A energia solar fotovoltaica também é uma das melhores alternativas para regiões isoladas onde não há rede elétrica ou que utilizem geradores a diesel ou óleo combustível, pois têm instalação simples e baixo custo em relação ao tempo de vida útil (mais de 25 anos)” explica o CEO.

A startup mudou o rumo do modelo energético no Brasil ao apresentar um novo caminho para que a população não ficasse vulnerável a uma única matriz energética. Hoje já são mais de centenas de projetos instalados em todo o Brasil, com a pretensão de chegar a milhares até o final do ano. Para isso, a companhia tem investido em mão de obra especializada, chegando a triplicar o número de colaboradores nos últimos 3 meses.

A empresa criou em seu site uma calculadora para uma simulação em tempo real do investimento do projeto no local citado. “Com isso, ninguém precisa ter mais dor de cabeça em fazer buscas pela internet sobre qual é a melhor opção para a região em que se quer instalar o projeto. Todas as dúvidas podem ser sanadas em um clique e o simulador irá entregar o melhor serviço e qualidade de produto”, comenta o CEO.

(*) HOMEWORK inspira profissionais e empreendedores a trabalhar de um jeito mais inteligente, saudável, transformador. Nosso conteúdo impacta mais de 1 milhão de usuários únicos, todo mês. É publicado no Terra e compartilhado via redes sociais, WhatsApp e newsletter. Entre pra comunidade HOMEWORK!

Homework Homework
Publicidade
Publicidade