PUBLICIDADE

Mulher é demitida por enviar e-mails com texto em caixa alta

2 set 2009 08h22
| atualizado às 12h59
Publicidade

A comunicação na era do e-mail e SMS exige uma etiqueta um pouco diferente da utilizada na vida real, já que não se pode contar com a linguagem corporal nem com o tom da voz de quem fala. E isso pode causar mal-entendidos. Na Nova Zelândia, a contadora Vicki Walker foi demitida por não saber lidar muito bem com e-mails - e recebeu cerca de US$ 17 mil como compensação.

» Mulher é demitida por usar Facebook durante licença médica/a>
» Britânica é demitida por falar mal do emprego em rede social
» Conselheiros de emprego sugerem cuidado com postagens na web
» Site lista piores erros em entrevista de empregos

Walker trabalhava no ProCare Health, serviço de planos de saúde em Auckland, na Nova Zelândia. De acordo com seus ex-empregadores ela foi despedida porque enviou a alguns funcionários um e-mail com palavras escritas em caixa alta, negrito e na cor vermelha.

O e-mail tratava de uma lista de checagem para preenchimento de formulários e continha itens destacados para lembrar aos colegas de cumprir os prazos. A data e a hora estavam em vermelho, e uma frase estava escrita em negrito azul: "Para garantir que o reembolso do seu pessoal seja processado e pago, por favor siga a lista abaixo".

A explicação da empresa para a demissão da contadora foi seu suposto tom rude, a ideia de que gritava no e-mail e a perturbação e desarmonia que seu comportamento online teria causado no escritório.

De acordo com o site do The New Zealand Herald, que publicou a notícia no último dia 30, Walker negou qualquer uma dessas afirmações e considerou a acusação algo "ridículo". A demissão se deu no final de 2007 e logo depois a profissional entrou na Justiça. Ela retende levar adiante o caso de demissão injusta.

"Eu sou uma mulher solteira com uma hipoteca, tive que re-hipotecar minha casa e pedir dinheiro emprestado à minha irmã para sobreviver. Eles quase arruinaram minha vida" disse Walker. A ProCare, segundo o site, não se manifestou sobre o caso.

Geek
Publicidade