PUBLICIDADE

Polícia alemã investiga explosão em escritório do partido A Esquerda

6 jul 2022 - 16h46
Ver comentários
Publicidade

Membros da sigla acreditam em motivação política de extrema direita, hipótese não descartada pela polícia. Incidente ocorreu na cidade de Oberhausen e não deixou feridos.A polícia da cidade de Oberhausen, no oeste da Alemanha, vasculhou nesta terça-feira (06/07) o local de uma explosão no escritório local do partido A Esquerda (Die Linke, em alemão), em busca de pistas sobre um suposto atentado.

Explosão também danificou empresas ao lado do escritório, como uma agência de viagens
Explosão também danificou empresas ao lado do escritório, como uma agência de viagens
Foto: DW / Deutsche Welle

Os membros da sigla acreditam que houve uma motivação política de extrema direita por trás da explosão. A polícia afirma que está examinando todas as pistas possíveis. "Não descartamos uma motivação política, mas também não podemos confirmá-la", escreveu o órgão em um comunicado.

A explosão ocorreu na madrugada de terça-feira, estourando janelas e danificando, além do próprio escritório do partido, empresas próximas, incluindo um salão de cabeleireiro e uma agência de viagens. A explosão foi tão intensa que danificou painéis de vidro do outro lado da rua. Ninguém ficou ferido.

A polícia do estado da Renânia do Norte-Vestfália, onde está localizada Oberhausen, disse em um comunicado que investigações forenses estão em andamento, com a ajuda de especialistas em explosivos.

Além disso, a divisão de segurança do Departamento Federal de Investigações (BKA, na sigla em alemão) está envolvida na investigação, já que há suspeita de uma possível motivação política.

Segundo a agência de notícias alemã DPA, fontes próximas à investigação relataram que foram encontradas evidências de um artefato explosivo. Seria um "dispositivo incendiário e explosivo não convencional" construído, entre outras coisas, com "explosivos instantâneos", como os contidos em fogos de artifício.

Por que o partido pode ter sido um alvo?

Em uma declaração no Facebook, Yusuf Karacelik, presidente do partido A Esquerda em Oberhausen, relata acreditar tratar-se de um "ataque direcionado da direita".

"No passado, houve repetidos adesivos do espectro neonazista colados em nossas instalações, bem como cartas ameaçadoras isoladas", disse ele.

Karacelik também confirmou à DPA que a polícia havia questionado sobre qualquer possível conexão com a participação do partido em uma manifestação em Berlim contra o rearmamento da Alemanha após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

A líder nacional do A Esquerda, Janine Wissler, também disse acreditar em uma motivação política de extrema direita.

Partido ligado à antiga Alemanha Oriental

A legenda é a força mais à esquerda no Parlamento alemão e ocupa 39 dos 736 assentos, depois de obter 4,9% dos votos nas eleições federais do ano passado.

A sigla foi fundada em 2007, quando membros descontentes do Partido Social-Democrata (SPD) e sindicatos firmaram um acordo com pós-comunistas da antiga Alemanha Oriental.

O fato de alguns membros da legenda terem feito parte do Partido Socialista Unitário (SED), que comandava a ditadura da Alemanha Oriental, afasta muitos eleitores alemães - especialmente os mais velhos.

Embora o partido tenha condenado a invasão da Ucrânia pela Rússia, uma minoria dentro da sigla culpou a expansão da Otan na Europa Oriental pela guerra. Antes das eleições federais de 2021, o partido disse que queria substituir a Otan por um sistema de segurança coletiva envolvendo a Rússia. Também pediu o fim de todas as missões da Bundeswehr (as Forças Armadas Alemãs) no exterior e que a Alemanha interrompesse todas as exportações de armas.

le/bl (AFP, dpa)

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
Publicidade
Publicidade