PUBLICIDADE

Pandemia força empresas a intensificarem estratégias de fidelização

Com o aumento das compras pela internet, os consumidores estão mais propensos a comprar e voltar a comprar de empresas que oferecem bônus e experiências de gamificação, que continua como tendência em 2022.

27 jan 2022 09h09
ver comentários
Publicidade

Aquele bônus recebido ou mesmo a oportunidade de concorrer a prêmios depois de finalizada uma compra na internet dá ao cliente uma sensação de ser especial. Essa estratégia, chamada de gamificação, é uma das tendências de 2022 do marketing digital. A intenção é que o consumidor se sinta cativado pela empresa da qual ele consome um certo produto.

Foto: DINO / DINO

O investimento em ações como essas está em alta devido a mudança do brasileiro na hora de fazer as compras. Dados da pesquisa "Tendências do e-commerce para 2022", apontam que a expectativa é de que 49% dos brasileiros comprem ainda mais pela internet este ano. As restrições causadas pela pandemia foram o motivo de 24% dos entrevistados aderirem a essa modalidade.

Só em 2021, 74% dos pequenos negócios atuaram no comércio eletrônico, segundo a 13ª Pesquisa de Impacto da Pandemia do Coronavírus nos Pequenos Negócios, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV). Um aumento de 15% em relação a 2020.

Pequenas ou grandes, as empresas esperam um impulso no faturamento para recuperar o fôlego pós-pandemia e outra medida que deverá ser mais utilizada são as chamadas raspadinhas, que são cupons ou prêmios. Elas aumentam a fidelização e estão cada vez mais populares no e-commerce. E os clientes agradecem. Estudo elaborado pela MKT House em parceria com o Portal da Promo concluiu que 97% dos entrevistados disseram gostar de participar de promoções. Outros 35% participaram de pelo menos uma ação do tipo nos cinco primeiros meses de 2021.

Para o publicitário Vasco Pinheiro dos Santos, tendências como essas vieram para ficar. Ele explica que o melhor jeito de a empresa conhecer o consumidor final, aquele cliente que realmente compra o produto, tanto em lojas físicas como virtuais, é com dados sobre ele. É aí que entram as campanhas promocionais.

"Quando a pessoa se cadastra e depois vai para uma roleta digital, uma raspadinha, ou outro tipo de premiação, há a sensação de a sorte estar com ela e isso muda toda a experiência de compra. A consequência é a aderência daquele cliente e a probabilidade de ele indicar essa experiência para um suposto novo cliente", disse.

O especialista em lideranças de equipe e gestão de projetos garante que a estratégia reúne qualidade de dados precisa sobre os clientes, o que ajuda em ações futuras de marketing. "Esses dados indicarão a porcentagem de pessoas por gênero, o que compram, qual loja que mais vende, o produto que mais tem aceitação e o que menos vende, o ticket médio por pessoa, ou seja, infinitas possibilidades de cruzamentos de dados de forma digital, fácil, rápida e segura", defendeu.

Experiência humanizada - Mas, embora a oportunidade de concorrer a prêmios seja sedutora, não basta apenas essa condição para garantir clientes fiéis e satisfeitos. A experiência proporcionada na hora de consumir é um dos motivos que fazem com que o consumidor se mantenha mais envolvido com uma marca em detrimento de outra. A pesquisa Panorama da Experiência do Consumidor, de 2021, revelou que 82% dos entrevistados gastaram mais em empresas que oferecem uma boa experiência enquanto que 76% desistiram de fazer uma compra por causa de uma experiência negativa.

"Com o aumento do uso da internet não podemos abrir mão do marketing humanizado. É um apelo que as empresas têm e, por isso, devem estar preparadas", completou Santos.



Website:

https://www.linkedin.com/in/vasco-pinheiro-2055b161/
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade