PUBLICIDADE

Muralhas, Interpol e mais: o que já se sabe sobre a fuga inédita em presídio federal

Ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, anunciou medidas para reforçar a segurança, após fuga de detentos na terça, 13

15 fev 2024 - 20h19
(atualizado em 16/2/2024 às 10h07)
Compartilhar
Exibir comentários
Ministro Ricardo Lewandowski
Ministro Ricardo Lewandowski
Foto: Adriano Machado

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, anunciou nesta quinta-feira, 15, uma série de medidas em resposta à fuga inédita de dois detentos da Penitenciária Federal Mossoró (RN). Entre as ações, estão a construção de muralhas e modernização do sistema de videomonitoramento dos cinco presídios federais

"Iremos fazer a modernização do sistema de videomonitoramento dos cinco presídios federais de segurança máxima. Também iremos aperfeiçoar o controle de acesso aos presídios federais, com sistema de reconhecimento facial de todos os que ingressarem na unidade, como presos, visitantes, administradores, advogados e autoridades", afirmou Lewandowski.

Segundo o ministro, há duas investigações em curso. Uma delas, de caráter administrativo, apura as reponsabilidades da fuga e pode levar a um processo interno. Ela está sob a liderança do titular da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), André Garcia.

Também há um inquérito no âmbito da Polícia Federal (PF) para apurar eventuais reponsabilidades de natureza criminal, ou seja, se há pessoas que, eventualmente, facilitaram a fuga dos dois detentos da penitenciária.

"Estamos atentos, operantes e com todos os esforços envolvidos na recaptura e apuração de responsabilidade no âmbito administrativo e criminal. Determinamos, ainda, a todas as unidades que tomassem as medidas de precaução que considerem adequadas. As medidas são de competência de seus gestores, eles sabem os problemas que enfrentam no dia a dia", afirmou o ministro.

Veja abaixo as medidas anunciadas pelo ministro:

  • Ampliação de sistema de alarmes;
  • Construção de muralhas;
  • Reforço de agentes de segurança;
  • Aperfeiçoamento do sistema de entradas nos presídios, com implantação de reconhecimento facial.

Confira a seguir as informações já obtidas sobre a fuga inédita a um presídio federal no Brasil. 

  • O que aconteceu?

Dois detentos fugiram da Penitenciária Federal Mossoró (RN) na noite de terça-feira, 13. A fuga foi a primeira em um presídio administrado pela União. A ausência dos presos nas celas só foi percebida às 5h de quarta-feira, ou seja, duas horas depois de eles iniciarem a fuga. A PF investiga o caso. 

  • Como eles fugiram?

Segundo a investigação da PF, por volta das 3h30m, os dois presos fizeram um buraco no teto da cela onde estavam. Depois eles escalaram, saíram pelo teto e chegaram ao terraço onde ocorre o banho de sol.

Uma das hipóteses da investigação é que eles tenham retirado uma ferramenta, tipo um alicate, do terraço em obras. Com a ferramenta, eles conseguiram cortar o alambrado do presídio e fugir. Câmeras de segurança da penitenciária registraram o momento em que ambos fogem, ainda vestindo o uniforme azul do presídio.

  • Quem são os detentos que fugiram?

Os foragidos foram identificados como Deibson Cabral Nascimento, de 33 anos, e Rogério da Silva Mendonça, de 35. Eles já foram incluídos na difusão vermelha da Interpol. Segundo a CNN Brasil, ambos têm ligação com uma das maiores facções do Brasil. Os detentos foram transferidos do Acre para Mossoró em 2023. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade