0

Universidade cita pandemia e desiste de sediar primeiro debate presidencial dos EUA

27 jul 2020
19h33
atualizado em 28/7/2020 às 05h57
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A universidade norte-americana de Notre Dame anunciou nesta segunda-feira que não irá sediar o primeiro debate das eleições presidenciais dos Estados Unidos e 2020 no dia 29 de setembro por conta de preocupações relacionadas com a pandemia do coronavírus. O evento será transferido para a cidade de Cleveland. 

Candidato democrata à Presidência dos EUA, Joe Biden
14/07/2020
REUTERS/Leah Millis
Candidato democrata à Presidência dos EUA, Joe Biden 14/07/2020 REUTERS/Leah Millis
Foto: Reuters

O primeiro debate entre o presidente Donald Trump e seu desafiante, o democrata e ex-vice-presidente Joe Biden, será co-sediado pela Universidade Case Western Reserve e pela Cleveland Clinic, segundo anunciou a Comissão de Debates Presidenciais.

O reverendo John I. Jenkins, presidente da Notre Dame em South Bend, no Estado de Indiana, disse em nota que as precauções de Saúde necessárias para realizar o debate "diminuiriam significativamente o valor educacional da realização do debate em nosso campus".

O comparecimento de estudantes seria restrito e as oportunidades de voluntariado minimizadas, afirmou Jenkins. 

Este é o segundo debate realocado por conta da pandemia. Em junho, a Universidade de Michigan desistiu da realização do segundo debate presidencial das eleições. O evento, que acontecerá no dia 15 de outubro, foi transferido para Miami.

Um terceiro debate presidencial será promovido na cidade de Nashville no dia 22 de outubro. O debate entre o vice-presidente Mike Pence e o eventual indicado democrata à vice-presidência, que ainda não foi definido, será realizado em Salt Lake City no dia 7 de outubro.

Veja também:

O momento em que homem daltônico vê cores pela primeira vez com óculos especiais
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade