PUBLICIDADE

Todos os casos de varíola de macacos na Itália são de homens

País europeu já contabiliza 20 contágios pelo vírus

3 jun 2022 - 11h08
(atualizado às 12h16)
Ver comentários
Foto: Poder360

Todos os 20 casos de varíola de macacos confirmados na Itália até o momento são de homens.

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (3) pelo Instituto Lazzaro Spallanzani, hospital de Roma que é a maior referência no combate a doenças infecciosas no país.

Segundo um artigo publicado por pesquisadores do instituto na última edição da "Eurosurveillance", revista científica do Centro Europeu de Controle e Prevenção de Doenças (ECDC), é "plausível" que a transmissão do vírus ocorra por contato direto durante relações sexuais.

O Spallanzani também descreve o primeiro sequenciamento genético do patógeno feito na Itália, mostrando que o vírus pertence ao clado (grupo de organismos com ancestral comum) da África Ocidental, assim como outros identificados na Europa nas últimas semanas.

A varíola de macacos pode ser transmitida por gotas de saliva e por contato com fluidos corporais e lesões cutâneas. Já os sintomas são semelhantes aos da varíola humana - que está erradicada no mundo desde 1980 -, como febre, dores musculares e o surgimento de bolhas na pele, embora de forma mais leve.

O nome "varíola de macacos" se deve ao fato de o vírus ter sido descoberto em colônias de símios, em 1958. Atualmente, acredita-se que os roedores sejam os principais hospedeiros do patógeno. O primeiro caso em humanos data de 1970, na República Democrática do Congo, durante os esforços para a erradicação da varíola.

 

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade