PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

'Cometa do Diabo' passará pelo Brasil neste domingo; saiba como observar o fenômeno

Corpo celeste demora aproximadamente 71,3 anos para completar uma volta em torno do Sol e se torna mais brilhante à medida que se aproxima do Sol

23 abr 2024 - 09h45
Compartilhar
Exibir comentários

Conhecido como 'Cometa do Diabo', o cometa 12P/Pons-Brooks poderá observado a partir deste domingo, 21 do Hemisfério Sul, incluindo regiões do Brasil, como Rio de Janeiro, Acre e demais Estados do Norte e Nordeste, com variações de horários (veja abaixo). O corpo celeste já passou pelo Hemisfério Norte e não apresenta riscos de colisão com a Terra.

"No dia 21 de abril, ele deverá se tornar mais visível no Hemisfério Sul, uma vez que atingirá a sua máxima aproximação ao Sol, momento cientificamente denominado por periélio. No entanto, desde o dia 7 de abril, observadores no Nordeste do Brasil já têm conseguido fazer registros da passagem do cometa", afirma Filipe Monteiro, pesquisador do Observatório Nacional.

Isso ocorre porque os Estados mais ao Norte poderão ver o cometa primeiramente no céu. O corpo celeste demora aproximadamente 71,3 anos para completar uma volta em torno do Sol e e se torna mais brilhante à medida que se aproxima dele.

Será visível a olho nu?

Para Monteiro, não é possível afirmar que o cometa poderá ser visto a olho nu, dado que a intensidade do brilho desses tipos de objetos é imprevisível. "Por isso, é possível que haja a necessidade de fazer uso de outros instrumentos, tais como binóculos e telescópios", reforça o astrônomo.

"Além disso, teremos Lua cheia e, por isso, a observação do cometa pode ficar mais difícil, uma vez que o brilho da Lua atrapalha a observação da maior parte dos alvos astronômicos. Assim, a visibilidade do cometa ficará mais interessante para os observadores algumas noites antes e após a Lua cheia", destaca o pesquisador do Observatório Nacional.

Quando e como observar?

Em abril, o 'Cometa do Diabo' estará abaixo da constelação de Touro e, em maio, abaixo da constelação de Órion. "Os observadores deverão olhar para o horizonte oeste, na mesma direção do pôr do sol, para ver o cometa. Ele estará visível logo após o pôr do sol, primeiramente abaixo da constelação de Touro, e a partir de maio, abaixo da constelação de Órion, sempre por volta das 17h40 às 18h30?, afirma Monteiro.

No Brasil, o horário em que o corpo celeste se tornará visível varia conforme a região, em razão da diferença da hora em que o Sol se põe em cada localidade.

Veja a seguir mais detalhes:

  • No Norte, mais especificamente no Acre, o cometa permanecerá visível até por volta das 19h50, porque o Estado está no extremo leste do País.
  • No Nordeste, por outro lado, observadores poderão enxergar o 12P/Pons-Brooks entre 17h45 e 18h20.
  • Já no Rio de Janeiro, o cometa poderá ser visto até umas 18h20.
  • Por estarem mais próximos da Linha do Equador, Norte e Nordeste têm a chance de presenciar o corpo celeste a uma altura melhor antes do restante do Brasil.

"A maior dificuldade será encontrar um lugar com o horizonte oeste livre, visto que o cometa está muito baixo no céu, a uma altura de cerca de 15 graus", pondera o astrônomo.

Uma das hipóteses, por exemplo, é a de que o cometa esteja expelindo gás e poeira de forma desigual. "Talvez haja uma área da superfície que não está liberando vapor, enquanto as áreas de cada lado estão sublimando gelos", avalia.

"Ou talvez seja um efeito de sombra, onde material mais denso ou até a topografia no centro do cometa parece bloquear parte do material brilhante atrás dele do nosso ponto de vista", avalia o pesquisador.

O que são cometas?

Segundo o Observatório Nacional, os cometas são objetos feitos principalmente de gases congelados, rocha e poeira. Eles se tornam ativos à medida que se aproximam do Sol. Isso porque o calor do astro aquece o cometa de forma rápida, fazendo com que seu gelo se transforme em gás", acrescenta. Neste processo de sublimação, forma-se uma nuvem ao redor do cometa conhecida como 'coma'.

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade