PUBLICIDADE

Mundo

Retrato oficial do Rei Charles 3º desagrada e gera polêmica na web: 'Nunca vi nada mais feio'

Pintura feita por Jonathan Yeo foi revelada nesta quarta-feira, 15, e não agradou o público

16 mai 2024 - 12h33
(atualizado às 13h37)
Compartilhar
Exibir comentários
Nova pintura de Rei Charles III está dando o que falar nas redes sociais
Nova pintura de Rei Charles III está dando o que falar nas redes sociais
Foto: Reprodução / Instagram / @theroyalfamily

O primeiro retrato oficial do Rei Charles 3º causou polêmica nas redes sociais. A pintura foi revelada nesta quarta-feira, 15, em um vídeo que mostra o próprio monarca se surpreendendo com o resultado. A arte é assinada pelo pintor Jonathan Yeo, mas não agradou o público.

Nas redes sociais, internautas apontaram que até o próprio rei pareceu levar um susto com o retrato, que foi feito em tons fortes de vermelho e rosa,  mostrando o rei uniformizado e apenas com a cabeça em evidência. 

O artista Jonathan Yeo afirmou que o vermelho foi escolhido como referência ao uniforme da Guarda do Rei, da qual Charles era coronel em 2020, quando o retrato foi encomendado. "O meu interesse é descobrir quem é a pessoa, e colocar isso na tela", justificou.

Houve quem criticasse a escolha do artista e também quem fizesse interpretações da obra. "Representação de todo o sangue derramando na construção de um império", disse um usuário do X, antigo Twitter. "Nunca vi nada mais feio", escreveu outro.

Um outro usuário questionou se o quadro teria o mesmo fim do "Retrato de Winston Churchill", obra que foi queimada a pedido do próprio primeiro-ministro do Reino Unido. Na época, ele não gostou nada da pintura.

"Me fez parecer um bêbado qualquer retirado da sarjeta". Foi o que Winston Churchill teria dito, segundo a historiadora Michal Meyer. A obra foi feita em 1954 para comemorar o 80º aniversário do ex-primeiro-ministro.

As comparações começaram a todo vapor nas redes sociais. Houve quem lembrasse do filme "O Som ao Redor" (2012), de Kleber Mendonça Filho. Na história, um personagem está tomando banho de cachoeira na fazenda de sua família quando a água se transforma em sangue, representando a violência usada para conseguir a terra.

Outro usuário do X disse que o vermelho na obra seria uma referência à ligação vazada entre Charles e Camilla Parker, enquanto ele ainda era casado com Diana. Na gravação, ele diz que queria ser o absorvente interno da mulher.

A obra também foi comparada à de Francis Bacon e também ao quadro assombrado do filme Os Caça-Fantasmas 2. Até a capa do álbum Tudo ao mesmo tempo agora, dos Titãs, entrou na comparação. Veja a seguir.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade