0

Paraguai declara embaixador da Venezuela como "persona non grata"

  • separator

O governo do Paraguai declarou nesta quarta-feira como "persona non grata" o embaixador da Venezuela no país e ordenou a retirada do chefe da legação diplomática paraguaia em Caracas, segundo um comunicado de seu Ministério das Relações Exteriores.

A nota cita "as graves evidências de intervenção por parte de funcionários da República Bolivariana da Venezuela em assuntos internos da República do Paraguai", em alusão à suposta "incentivação" do chanceler Nicolás Maduro aos chefes militares paraguaios para que mantivessem sua lealdade a Fernando Lugo. O ex-presidente foi cassado no dia 22 de junho em processo parlamentar e sucedido por Federico Franco.

Maduro estava naquele dia em Assunção, como parte de uma delegação da Unasul que acudiu a mediar na crise política paraguaia.

Após se referir às provas de interferência venezuelana, a Chancelaria do Paraguai informou hoje que o governo do país "determinou nesta data a retirada de seu embaixador credenciado perante o governo venezuelano", Augusto Ocampos.

"Além disso, em conformidade com o previsto na convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas, o Estado paraguaio declarou persona non grata o embaixador da Venezuela no Paraguai, José F. Javier Arrúe de Pablo", acrescenta o comunidado que explica que o diplomata já "não está no país".

A Venezuela anunciou no dia 24 de junho a retirada de seu embaixador no Paraguai, assim como o corte de exportação de petróleo ao país por causa do que qualificou como um "golpe de Estado" a Lugo.

Veja também:

Explosão no Líbano: BBC visita epicentro do desastre no porto de Beirute
EFE   
publicidade