0

Presidente do Iêmen adia eleições e renuncia a novo mandato

2 fev 2011
06h45
atualizado às 09h02

O presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, anunciou nesta quarta-feira que não vai concorrer a um novo mandato, mas ao mesmo tempo decidiu adiar as eleições legislativas previstas para 27 de abril, muito questionadas pela oposição.

O presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, fala no parlamento em Sanaa
O presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, fala no parlamento em Sanaa
Foto: Reuters

"Sem governo hereditário e sem presidência vitalícia", afirmou Saleh durante uma reunião extraordinária do Parlamento e do Conselho Consultivo, na véspera de um novo "dia da revolta", convocado pela oposição para quinta-feira.

Milhares de iemenitas, inspirados pelos protestos populares na Tunísia e no Egito, protestaram nas ruas no dia 27 de janeiro para pedir a renúncia de Saleh, que está no poder há 32 anos. Assim como em 27 de janeiro, o partido governista Congresso Popular Geral (CPG) convocou contramanifestações para quinta-feira.

Saleh, que foi reeleito para um mandato de sete anos em 2006, também pediu aos partidos opositores, reunidos do "Fórum Comum", o fim das manifestações nas ruas e a retomada do diálogo sobre as reformas políticas, interrompido quando as autoridades optaram por organizar as eleições legislativas em 27 de abril. Além disso, o presidente defendeu a formação de um "governo de unidade nacional".

Os deputados pretendiam examinar em 1º de março um projeto de reforma constitucional que permitiria transformar Saleh em presidente vitalício. A oposição também acreditava que Saleh planejava transferir o poder ao filho Ahmed, que comanda a Guarda Republicana, uma unidade de elite das Forças Armadas iemenitas.



AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade