0

Japão registra ao menos 18 mortes por causa de tufão Hagibis

A tempestade causou inundações, deslizamentos de terra e rompimento de diques; rajadas de vento alcançaram até 200 km/h

13 out 2019
09h41
atualizado às 10h21
  • separator
  • 0
  • comentários

O tufão Hagibis, que chegou ao Japão este sábado, 12, deixou pelo menos 18 mortos e 30 pessoas desaparecidas. Os números são confirmados pela emissora pública japonesa, NHK. A tempestade, acompanhada de chuvas de intensidade "sem precedentes", deixou casas inundadas, causou deslizamentos de terra e transbordamento de rios.

Foto: Nicolas Datiche / Reuters

O Campeonato Mundial de Rugby teve jogos cancelados e o GP do Japão de Fórmula 1 não teve atividades de pista no sábado.

Na região de Nagano (centro do país), as inundações foram significativas. Um dique cedeu e as águas do rio Chikuma invadiram uma área residencial, onde até o primeiro andar de casas inundou.

Imagens aéreas da NHK mostraram habitantes ilhados em suas sacadas, pedindo ajuda. Vários trens de alta velocidade ficaram submersos em um depósito de Nagano.

Segundo a Agência Meteorológica do Japão (JMA), as rajadas de vento alcançaram até 200 km/h.

Cargueiro afundado

Antes de tocar a terra, Hagibis causou uma morte na região de Chiba (na periferia leste de Tóquio), onde um homem foi encontrado morto em um caminhão basculante, segundo bombeiros.

O saldo aumentou com a passagem da maior parte da tempestade, que tirou vidas na região de Tóquio, no centro e no nordeste do país.

A cadeia NHK contou quase 100 feridos e relatou o desaparecimento de mais de 10 pessoas.

Entre os desaparecidos estavam oito pessoas a bordo de um cargueiro que naufragou na noite de sábado na Baía de Tóquio. A Guarda Costeira anunciou que resgatou quatro membros da tripulação do navio, com uma bandeira panamenha, mas ainda estava procurando os outros.

Jogos da Copa do Mundo de Rugby cancelados

Os organizadores da Copa do Mundo de Rugby, disputada no Japão, decidiram neste domingo cancelar por questões de segurança a partida entre Namíbia e Canadá, marcada para ocorrer em Kamaishi, no nordeste do país, devido à passagem do tufão. Foi o terceiro jogo da Copa do Mundo cancelado por conta do Hagibis.

"O tufão Hagibis é uma das tempestades mais poderosas que já castigou o Japão em décadas e as questões de segurança são o núcleo da nossa decisão", explicou a organização do torneio em comunicado.

Cidade no Japão tem terremoto de magnitude 5,7

Um terremoto de magnitude 5,7 na escala Richter também atingiu a cidade de Chiba, no leste do Japão, neste sábado.

O tremor aconteceu às 18h22 (6h22, horário de Brasília), com epicentro no mar, em frente à costa sul de Chiba e a 80 quilômetros de profundidade, e não causou risco de tsunami, segundo a Agência Meteorológica do Japão.

O abalo sísmico foi sentido em várias partes da capital do país, Tóquio, assim como na vizinha Yokohama e também em Atsugi e Shizuoka, que estão em alerta máximo devido às fortes chuvas provocadas pelo tufão.

Tufão Faxai

No início de setembro, a região de Tóquio foi atingida pelo poderoso tufão, Faxai, com rajadas superiores a 200 km/h.

O Japão geralmente é atingido todos os anos por cerca de vinte tufões. Antes de Hagibis, Faxai deixou pelo menos dois mortos em setembro e causou danos significativos em Chiba.

Faxai causou pelo menos duas mortes e mais de cem feridos. Além disso, danificou dezenas de milhares de casas e inúmeras infraestruturas elétricas.

Na prefeitura de Chiba, periferia de Tóquio, quase um milhão de residências ficaram sem energia, e em dezenas de milhares delas, a corrente elétrica só retornou duas semanas depois.

O governo japonês, que foi fortemente criticado por sua administração da crise na passagem do Faxai, disse na sexta-feira, 11, que estava em alerta.

O primeiro-ministro Shinzo Abe ordenou que sejam "tomadas todas as medidas possíveis para garantir a segurança do povo", segundo o porta-voz do executivo, Yoshihide Suga. / NHK, AFP, EFE

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade