1 evento ao vivo

Irã enfrentará as consequências se ameaçar os EUA, diz Trump

Mensagem publicada no Twitter ameaça o presidente iraniano, Hassan Rohani, com 'consequências que apenas poucos na história sofreram antes'

23 jul 2018
07h38
atualizado às 07h39
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente americano Donald Trump afirmou neste domingo, 22, que o Irã enfrentará duras consequências caso o país continue a ameaçar os Estados Unidos. A mensagem, divulgada nas redes sociais, eleva a pressão na disputa retórica entre as duas nações.

Trump usou sua conta no Twitter para ameaçar governo iraniano
Trump usou sua conta no Twitter para ameaçar governo iraniano
Foto: Leah Millis/File Photo / Reuters

"Ao presidente iraniano Rohani: Nunca mais ameace os Estados Unidos de novo ou sofrerá as consequências que apenas poucos na história sofreram antes", escreveu Trump. "Nós não somos mais um país que tolerará suas palavras dementes de violência e morte. Tenha cuidado!"

A nova escalada americana na disputa retórica contra o país árabe vem em resposta ao discurso do presidente iraniano Hassan Rohani, que afirmou que qualquer confronto contra o Irã será "a mãe de todas as guerras". Rohani também ameaçou os Estados Unidos ao anunciar a possibilidade de interromper o fornecimento de petróleo caso Washington bloqueie as exportações iranianas. No sábado, 21, o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse que apoia a posição do país contra os Estados Unidos, considerada mais pragmática do que moderada.

Neste domingo, 22, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, criticou a postula de Rohani e disse que o presidente perpetua corrupção às custas dos cidadãos iraniano.

"Governantes em todo o mundo temem que um confronto contra a República Islâmica prejudicaria a causa dos moderados, mas esses chamados moderados no regime ainda são revolucionários islâmicos violentos com uma agenda antiamericana e antiocidental", disse Pompeo durante discurso em evento na Califórnia.

Em maio deste ano, Trump retirou os Estados Unidos do acordo nuclear firmado com o Irã e ordenou o restabelecimento de todas as sanções contra o país árabe que estavam suspensas devido ao pacto.

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade