1 evento ao vivo

Harry e Meghan incentivam americanos a votar em eleições

Casal fez rara aparição e discurso inédito na televisão

23 set 2020
15h10
atualizado às 17h52
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O príncipe Harry e a sua esposa, Meghan Markle, fizeram na noite desta terça-feira (22) um apelo aos norte-americanos para que participem das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro.

Casal fez rara aparição e discurso inédito na televisão
Casal fez rara aparição e discurso inédito na televisão
Foto: Ansa / Ansa - Brasil

Em um vídeo para a edição especial da Time sobre as 100 personalidades mais influentes do ano, transmitido pela emissora "ABC", o casal pediu para os cidadãos se registrarem para votar.

"A cada quatro anos, ouvimos a mesma coisa: que esta é a eleição mais importante de nossas vidas", afirmou a ex-atriz. "Mas esta é. Quando votamos, nossos valores são colocados em ação e nossas vozes são ouvidas, sua voz é um lembrete de que você é importante, porque você importa, e você merece ser ouvido".

Harry e Meghan, que vivem na Califórnia, desde quando renunciarem a suas funções na realeza britânica em março passado, não apoiaram nenhum candidato, mas suas palavras foram interpretadas como apoio implícito ao democrata Joe Biden.

?It?s time to not only reflect, but act.? This #NationalVoterRegistrationDay, join #Time100 alumni Harry and Meghan, the Duke and Duchess of Sussex, in taking action for the future. pic.twitter.com/JerXHxiZK3

? ABC (@ABCNetwork) September 23, 2020

Antes de se casar, Meghan chegou a fazer diversas críticas contra o atual presidente dos EUA, Donald Trump, classificando ele como "misógino" e que dividia em vez de unir. No próximo dia 3 de novembro, tendo permanecido cidadã americana, ela se tornará o primeiro membro da família real britânica a exercer publicamente o direito de voto.

Harry, por sua vez, lembrou que não pode votar, por não ser cidadão americano, mas reforçou sobre a importância de haver cuidado com a informação que se consome e que se transmite nas redes sociais.

"O que consumimos, o que expomos e aquilo com que nos comprometemos online têm um efeito real em nós. Chega de mensagens de ódio, desinformação e negatividade", disse o príncipe.

A mensagem do casal, no entanto, foi criticada no Reino Unido como uma violação do protocolo nacional que exige que membros da família real não divulguem suas posições políticas.

Uma fonte do Palácio de Buckingham disse ao Times que Harry "saiu da linha". Além disso, sua atitude foi considerada "inaceitável".

Veja também:

Terremoto causa 'mini-tsunami' e destrói casas na Grécia e na Turquia
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade