1 evento ao vivo

Guatemala encontra plantações e laboratórios de cocaína, admite ser uma nação produtora

19 set 2019
19h09
  • separator
  • 0
  • comentários

Forças de segurança da Guatemala encontraram e destruíram grandes plantações de coca, além de dois laboratórios de processamento de cocaína, informou a polícia nesta quinta-feira.

Policial da Guatemalar durante operação para desmantelar lanoratório de cocaína
19/09/2019
Polícia Civil Nacional/Divulgação via REUTERS
Policial da Guatemalar durante operação para desmantelar lanoratório de cocaína 19/09/2019 Polícia Civil Nacional/Divulgação via REUTERS
Foto: Reuters

A descoberta de cerca de 1,3 milhão de plantas de coca em colinas tropicais levou o ministro do Interior, Enrique Degenhart, a admitir que a Guatemala é agora um país produtor de cocaína e não apenas um ponto de trânsito para traficantes de drogas.

Até recentemente, o cultivo da planta era quase exclusivo da Colômbia, do Peru e da Bolívia.

Autoridades guatemaltecas fizeram a descoberta após o governo delegar poderes emergenciais aos militares no leste do país, em resposta ao assassinato de três soldados no início deste mês. À época, o governo informou que traficantes prepararam uma emboscada para as vítimas.

As plantações foram encontradas em trechos remotos dos municípios de Livingston, na costa do Caribe, e El Estor, próximo a um lago popular entre turistas e onde os soldados foram mortos.

Desde que o estado de emergência entrou em vigor, 342 pessoas já foram detidas, além da apreensão de 57 motos, 38 outros veículos e 52 armas de fogo, informou a polícia em um comunicado, acrescentando que dois laboratórios de processamento de cocaína foram destruídos.

Um dos países mais pobres e mais devastados pelas gangues nas Américas, a Guatemala é um dos principais locais de trânsito da cocaína. Os traficantes conseguiram influência sobre os partidos políticos e, em alguns casos, o controle territorial.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade